Legislativas em França. Afluência às urnas dos franceses em Portugal é de 27%

De acordo com Thomas Bertin, encarregado de negócios da embaixada francesa em Lisboa, votaram, até às 12:00, aproximadamente 27% dos cerca de 16 mil eleitores franceses recenseados em Portugal.

7 – Franca

A votação na segunda volta das eleições legislativas francesas registou uma taxa de participação de cerca de 27%, até ao meio-dia de hoje, próximo do mesmo nível da primeira volta, adiantou fonte da embaixada à Lusa.

De acordo com Thomas Bertin, encarregado de negócios da embaixada francesa em Lisboa, votaram, até às 12:00, aproximadamente 27% dos cerca de 16 mil eleitores franceses recenseados em Portugal.

“Em comparação com a primeira volta das eleições legislativas a participação é mais ou menos o mesmo nível”, disse em declarações à Lusa, estimando que até ao fecho das urnas se fixe em “menos de 30%”.

Hoje decorre a votação presencial para a segunda volta nas legislativas francesas nas cinco mesas de voto que existem em Portugal: três em Lisboa, uma no Porto e uma em Faro.

“O nível de participação foi mais elevado para as eleições presidenciais do mês de abril. Agora para as eleições legislativas é menos elevado”, apontou o responsável da embaixada, salientando que a taxa foi de 40% nas presidenciais.

Para Thomas Bertin, a diferença resulta também do facto de nas legislativas o voto eletrónico ser permitido.

“Durante as eleições presidenciais do mês de abril tivemos uma afluência muito importante, porque o voto eletrónico não é permitido para as eleições presidenciais. Agora para as legislativas é permitido, por isso temos muito menos eleitores que vão votar presencialmente”, salientou.

Portugal, juntamente com Espanha, Mónaco e Andorra pertence ao quinto círculo eleitoral para franceses no estrangeiro, num total de 11, que elegem 11 deputados.

Na votação na primeira volta, a taxa de participação por voto eletrónico em Portugal foi de “bom nível”, com 35% dos eleitores elegíveis a optarem por votar desta forma, indicou na altura a embaixada à Lusa.

Os eleitores franceses deslocam-se hoje às urnas para votar na segunda volta das eleições legislativas, com a possibilidade de imporem uma coabitação ao Presidente da República, Emmanuel Macron, algo que não acontece desde 2002.

Depois de, na primeira volta das eleições presidenciais francesas, a coligação de esquerda Nova União Popular Ecológica e Social (NUPES) e a coligação presidencial Juntos! (Ensemble!, em francês) terem ficado separadas por cerca de 20 mil votos, Macron tem repetido os apelos a um “sobressalto republicano” nesta segunda volta.

Até às 12:00 locais (11:00 em Portugal), tinham votado 18,99% dos eleitores franceses, um aumento relativamente a 2017, quando 17,75% tinham-se deslocado às urnas até à mesma hora.

Na primeira volta das legislativas, no último domingo, bateram-se recordes históricos de abstenção – 52,49% dos eleitores não votaram.

Recomendadas

Conselho da UE anuncia apoio de 40 milhões de euros para o exército da Moldávia

Este apoio complementa a contribuição europeia de sete milhões de euros, feita em dezembro de 2021, destinada na altura a capacitar o Serviço Médico Militar do Batalhão de Engenharia das Forças Armadas moldavas. 

Ucrânia: Diplomacia russa protesta contra afirmações ‘grosseiras’ de Johnson

Em comunicado, o Ministério adiantou que Deborah Bronnert recebeu um protesto “firme” contra “as afirmações abertamente grosseiras a respeito da Federação Russa, do seu dirigente, dos seus responsáveis, bem como do povo russo”.

ONU classifica de “revés” decisão judicial que limita regulação ambiental nos EUA

A ONU considerou que retrocessos em países que produzem grandes quantidades de emissões prejudiciais ao ambiente, como os Estados Unidos, tornam “mais difícil alcançar os objetivos estabelecidos no Acordo de Paris para um planeta mais saudável e em que se possa viver”.
Comentários