Líder do PSD diz que quer “ir à procura de uma maioria absoluta”

“Eu quero muito contar convosco e quero, mesmo muito, convosco ir à procura de uma maioria absoluta no parlamento”, sublinhou Luís Montenegro.

Cristina Bernardo

O presidente do PSD afirmou sábado à noite que quer ir “à procura de uma maioria absoluta” e salientou que os socialistas “não mereceram a confiança” que tiveram com o resultado das eleições legislativas de janeiro deste ano.

“Eu quero muito contar convosco e quero, mesmo muito, convosco ir à procura de uma maioria absoluta no parlamento, para termos as condições que nunca tivemos nos últimos anos de governar Portugal, como aquelas que o Partido Socialista tem hoje e que está a desbaratar”, afirmou Luís Montenegro, durante uma intervenção na cerimónia de tomada de posse dos órgãos da Distrital do Porto do PSD, em Penafiel.

O líder dos sociais-democratas criticou duramente o primeiro-ministro, António Costa, e o PS, que acusou de não estar a saber aproveitar a maioria absoluta que alcançou em 30 de janeiro.

“Doutor António Costa, de facto, é imperdoável. Como é que um partido e uma liderança tem tantas condições e é capaz de as desperdiçar de uma forma tão ligeira, às vezes mesmo tão leviana”, questionou.

“De facto, aquilo que hoje se pode dizer é que o Doutor António Costa e o Partido Socialista não mereceram a confiança que tiveram”, apontou.

Depois de ter começado o discurso a dizer que “cada vez mais” o PS, o primeiro-ministro e o Governo “andam nervosos”, tendo “razões para isso” porque o PSD “está mais forte”, Luís Montenegro atribuiu o nervosismo socialista às falhas cometidas.

O líder do PSD respondeu ainda às declarações de hoje de António Costa, que acusou os adversários políticos de não perdoarem a maioria absoluta dos socialistas, avisando que “tudo farão para comprometer essa estabilidade”.

“Aquilo que os portugueses não perdoam é um Governo onde reina a confusão, a descoordenação”, disse, deixando uma promessa, mas lembrando que não está nenhuma campanha eleitoral a decorrer.

“Nós respeitamos o mandato e vamos fazer tudo para sermos nós a merecer essa confiança, para fazer muito mais e muito melhor do que o Partido Socialista”, avisou o presidente do PSD.

Recomendadas

Paciência zero para a política Covid zero na China. Ouça o podcast a “A Arte da Guerra”

A política de Covid zero começa a fazer mossa na China com o confinamento de centenas de milhões de pessoas a desencadear protestos pouco comuns na presidência de Xi Jinping. Os incidentes diplomáticos no Qatar e a perseguição aos curdos por parte de Erdogan são também temas em análise.

Partidos votam contra ensino do português no estrangeiro gratuito

O único dos nove diplomas sobre ensino do português no estrangeiro que acabou por ser aprovado foi um projeto de resolução da iniciativa do Partido Socialista (PS).

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.
Comentários