Liderança empresarial através dos dados vai estar em debate (com áudio)

Conferência promovida pela Microsoft Portugal vai procurar saber o que define as ‘data driven companies’ e quais os desafios que as empresas têm de enfrentar para se adaptarem e serem competitivas.

A informação tornou-se o mais relevante ativo económico, capaz de alavancar a oferta de produtos e serviços e de tornar mais eficientes as organizações, e vai ser o tema da conferência “Data Driven Leadership”, promovida pela Microsoft Portugal e da qual o Jornal Económico é media partner, que é transmitida esta quinta-feira.

O valor da informação é comprovado pelo facto de entre as mais valorizadas empresas cotadas em bolsa no mundo quatro operarem modelos de negócio onde os dados desempenham um papel proeminente, tendo já ultrapassado, cada uma delas, uma capitalização de um bilião de dólares (cerca de 955 mil milhões de euros, ao câmbio atual).

De facto, com a aceleração do desenvolvimento tecnológico, as empresas têm vindo a recolher e acumular enormes quantidades de dados, na última década, para melhor satisfazerem os clientes através de experiências personalizadas, racionalizar as operações e clarificar a sua estratégia. Para o conseguirem, investem em soluções tecnológicas, para a recolha de informação, e em talento analítico para a transformar em conhecimento. No entanto, nem todas as organizações orientam a sua atividade pelos dados continua a ser difícil implantar uma cultura que concretize esta ideia.

A conferência “Data Driven Leadership” será transmitida esta quinta-feira, 26 de maio, a partir das 10h00, e contará com a participação de Abel Aguiar, diretor executivo de Canal e Parceiros Microsoft Portugal; e de Sara Candeias, diretora de Sistemas de Informação, Data & Analytics do Banco Montepio.

Nesta conferência, vamos procurar saber o que define uma data driven company ou uma intelligent driven company e como é possível promover uma cultura que corporize esta ideia. Vamos perceber, também, como tem sido a evolução da adesão das empresas a este conceito, que impacto teve a aceleração do processo de digitalização das organizações e dos particulares e qual é, nesta altura, o estado da arte em Portugal. Serão discutidas, ainda, as soluções tecnológicas disponíveis e identificados os obstáculos que as empresas enfrentam quando querem passar a ser orientadas pelo conhecimento, a começar pela resposta aos desafios da atração e retenção de talento e da formação.

A conferência “Data Driven Leadership” é transmitida através da plataforma Microsoft Events, em mktoevents.com, e estará acessível ao público mediante registo.

Será noticiada pelo Jornal Económico em www.jornaleconomico.pt e na próxima edição impressa.

Relacionadas

Microsoft abre candidaturas para programas na área da educação

Showcase School e Microsoft Innovative Educator têm como objetivo reconhecer os professores e as escolas que se destaquem pelas melhores práticas de adoção e transformação digital no panorama da Educação. As candidaturas decorem até 7 de julho.

PremiumCibersegurança é um “jogo entre humanos e máquinas”

Consultor da PwC defende o reforço do papel dos CISOs (Chief Information Security Officers) ao nível dos conselhos de administração e a promoção de contínuas ações de formação e sensibilização para a segurança informática.
Recomendadas

PremiumEmpreendedores aceleram inovação nas grandes empresas

Portugal tem um enquadramento propício ao empreendedorismo, que é aproveitado pelas corporações para acelerarem os seus processos de inovação. Projeto da Galp com a Sensei para o retalho é um exemplo deste tipo de parceria.

Premium“A prazo, todos pagamos” problema da precariedade, diz Renato do Carmo

Precariedade impacta a sustentabilidade da Segurança Social e retira o papel de inclusão social ao trabalho, defende o investigador.

Sensei quer ser maior player mundial em lojas autónomas – Vasco Portugal

Conferência “Stratups: o motor de inovação do mundo corporate” contou também com a participação de Ana Casaca, Global Head of Innovation da Galp; João Diogo, Head of Retail da Galp; e Diogo Pinto Sousa, diretor-executivo para Small Medium and Corporate Markets da Microsoft Portugal.
Comentários