Lidl oferece a partir de 1 de julho modelo de trabalho 100% flexível a trabalhadores de escritório

Está incluída a possibilidade de trabalho móvel até cinco dias por semanas. Contudo o Lidl refere que vai manter também os seus escritórios totalmente disponíveis para os que desejarem continuar a trabalhar presencialmente.

O Lidl oferece a partir de 1 de julho um modelo de trabalho 100% flexível a trabalhadores de escritório, que inclui a possibilidade de optarem por trabalho móvel até cinco dias por semana, não limitando o trabalho presencial em escritório.

“Os últimos dois anos, apesar de desafiantes foram a prova de que a confiança, a flexibilidade e o compromisso das equipas, independentemente do local de trabalho, mantiveram sempre um alto desempenho. Acreditamos que, com esta nova possibilidade, reforçaremos não só o nível de confiança nas nossas equipas, como conseguiremos continuar a ser diferenciadores, enquanto empregador de referência, sendo a primeira escolha dos nossos atuais e futuros colaboradores”, disse a administradora de recursos humanos do Lidl Portugal, Maria Román.

A empresa contudo vai manter também os seus escritórios totalmente disponíveis para os que desejarem continuar a trabalhar presencialmente.

“Isto significa que cada colaborador terá autonomia para, em coordenação com a sua equipa e respetiva liderança, fazer uma gestão eficiente do local de trabalho. O Lidl salvaguarda, por isso, que os escritórios irão manter-se em condições de receber todos aqueles que desejarem trabalhar neste espaço, que se continua a assumir como ponto central de contacto, bem como da importância do convívio pessoal e da partilha de conhecimento como parte do ADN Lidl. Portanto, em momentos estratégicos, de integração ou de convívio, será promovido o trabalho presencial”, acrescenta o Lidl.

“O princípio que deve estar na base da decisão, é a combinação entre o melhor resultado e uma relação sustentável com os nossos colaboradores”, considera Maria Román.

A empresa refere que as mudanças que existiram no mercado de trabalho, devido à pandemia da Covid-19, “e que tendem para uma maior flexibilização do modelo antes em vigor, em que predominava o trabalho presencial em escritório, contribuíram para que o Lidl Portugal evoluísse no modelo híbrido que já disponibilizava aos seus colaboradores, com a possibilidade de realizarem dois dias de trabalho móvel por semana”.

Relacionadas

Lidl entrega 361 mil euros a 10 projetos para combater desigualdades sociais

“Os projetos foram selecionados segundo rigorosos critérios de avaliação relacionados com o impacto social do projeto, o seu potencial de crescimento, a maturidade e complementaridade da equipa, o grau de inovação do projeto e a sua viabilidade e sustentabilidade no tempo”, assegura o Lidl.

Lidl investe 21 milhões de euros na modernização de cinco lojas

“Foram mais de 21 milhões de euros na modernização de cinco lojas, nos concelhos do Montijo, Moita, Gouveia, Montemor-o-Velho e Gondomar que abrem hoje”, diz a cadeia alemã de retalho alimentar.

Lidl investe 100 milhões de euros na expansão para a Madeira e abre três lojas em 2023

Em comunicado, o Lidl estima ainda um contributo para a economia local, com compras a fornecedores madeirenses – comerciais e de serviços – na ordem dos 20 milhões de euros.
Recomendadas

Os desafios e constrangimentos de Christine Ourmières-Widener no primeiro ano

Christine Ourmières-Widener cumpre este sábado um ano como presidente executiva da TAP, um período marcado pelos desafios e constrangimentos da execução do plano de reestruturação, um compromisso que assumiu no primeiro dia.

PremiumAuditoria ao Novobanco há meses à espera do Parlamento

A terceira auditoria da Deloitte ao Novobanco foi entregue aos deputados em abril, mantendo-se como confidencial de forma provisória. Desde então, o tema não voltou a ser discutido.

Operação da TAP em níveis de 2019 mas conflitos laborais ameaçam verão

As dificuldades nas negociações entre a TAP e os sindicatos, numa altura em que o tráfego está próximo de níveis de 2019, ameaçam perturbar a operação no verão, com as estruturas a darem indicações de que poderão convocar greves.
Comentários