Lidl vai investir 100 milhões de euros em Portugal este ano

A cadeia alemã de distribuição vai investir em novas lojas, na reformulação de algumas das atuais lojas que integram a sua rede, mas também compra de terrenos e na ampliação e modernização de centros logísticos.

A cadeia de distribuição Lidl vai investir este ano 100 milhões de euros em Portugal, na construção de novas lojas, mas também e na remodelação de lojas atuais, revelou esta quarta-feira o CEO do Lidl Portugal, Massimiliano Silvestri, num encontro com os jornalistas.

“Queremos investir numa mão cheia de novas lojas na área da Grande Lisboa, do Grande Porto e também no Algarve, que é onde há muito potencial de crescimento”, disse Massimiliano Silvestri.

“Vamos também investir cerca de 20 milhões de euros na ampliação de um centro logístico de Torres Novas, de 30 para 40 mil metros quadrados e com a total reformulação das câmaras de frio”, acrescentou.

As obras no centro logístico de Torres Novas irão arrancar em setembro ou outubro deste ano e as do novo centro de Santo Tirso deverão iniciar-se também em 2018, prevendo-se que estejam concluídas em 2020.

O Lidl Portugal também vai investir na construção de um novo centro logístico com 70 mil metros quadrados de área em Santo Tirso, que irá substituir o atual centro logístico do Lidl em Famalicão. O orçamento para este projeto é de 70 milhões de euros.

O Lidl já investiu cerca de 1.000 milhões de euros nos 23 anos em que marca presença em Portugal, avançou este responsável.

No ano fiscal que se concluiu a 28 de fevereiro, a empresa aumentou em quatro décimas a quota do mercado no retalho alimentar, para 8,6%, em valor, assegurou Massimiliano Silvestri. “Estamos a lutar pela 3ª posição, pelo pódio, atrás das duas maiores cadeias alimentares do país, o Continente e o Pingo Doce”, assumiu o CEO do Lidl Portugal, sem, contudo, referir qual ou quais são os outros grupos de distribuição que estão a competir com o Lidl para essa posição no mercado nacional de distribuição.

Silvestri anunciou ainda que, no último ano fiscal, o Lidl Portugal foi responsável pela exportação de 100 milhões de euros de produtos nacionais para outros mercados em que a cadeia de distribuição alemã opera, com destaque para a pêra rfocha, mas também pastéis de nata, abóbora menina, vinhos, azeite ou castanha, por exemplo.

Este valor de exportação de produtos portugueses representou um forte crescimento face aos 70 milhões de euros conseguidos no ano fiscal terminado a 28 de fevereiro de 2017.

Relacionadas

Lidl paga ‘bónus’ de 400 euros a trabalhadores

O prémio destina-se aos colaboradores da Operação, que representam 90% do total, e será pago já este mês, revela Maria Roman, diretora de RH, ao JE.

Lidl recolhe produto devido a presença de substâncias produzidas por fungos

Trata-se dos lotes 505-17 e 564-17 do artigo ‘Figos Secos com Farinha’, fornecidos pela empresa Productos Biovera e vendidos nas lojas Lidl.

Lidl quer testar camião elétrico e autónomo na Suécia

Em parceira com a Einride, o Lidl propõe-se utilizar nas suas operações suecas em 2018 o T-Pod, um camião elétrico e autónomo. O teste depende da obtenção de uma licença por parte da Autoridade Sueca de Transportes.
Recomendadas

Cheque-família começa a ser pago a partir de 20 de outubro, anuncia Marques Mendes

No seu espaço habitual de comentário ao domingo no Jornal da Noite da Sic, Marques Mendes assegurou que este apoio, anunciado pelo Governo a 5 de setembro, vai começar a chegar às contas bancárias das famílias a partir do dia 20 do próximo mês.

Comissão Europeia diz que Portugal é “moderadamente inovador”

O país encontra-se no grupo dos países moderadamente inovadores, passando da 19ª para a 17ª posição entre os 27 Estados-Membros, segundo os dados da Comissão Europeia tornados públicos pela ANI (Agência Nacional de Inovação).

Emirados Árabes Unidos vão fornecer à Alemanha gás liquefeito e gasóleo em 2022 e 2023

Segundo a agência noticiosa oficial dos Emirados, Wam, o acordo prevê a exportação de uma carga de gás natural liquefeito (GNL) para a Alemanha no final de 2022, seguida do fornecimento de quantidades adicionais em 2023.
Comentários