Liga Árabe considera “nula” a decisão de Trump sobre Jerusalém

Papel de Trump no processo de paz foi questionado.

O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed Aboul Gheit, considerou “nula” a decisão do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

“Esta decisão é nula e as suas consequências são nulas e não mudarão o estatuto de Jerusalém”, disse Ahmed Aboul Gheit durante a abertura do Encontro Extraordinário de Ministros dos Negócios Estrangeiros árabes, que se realiza no Cairo.

O responsável afirmou que a decisão de Trump “abre uma questão sobre o seu papel no processo de paz” entre israelitas e palestinianos.

O Presidente dos Estados Unidos reconheceu na quarta-feira Jerusalém como capital de Israel, tornando-se no único país do mundo a tomar essa decisão que representa uma rutura em relação a décadas de neutralidade da diplomacia norte-americana no âmbito do processo israelo-palestiniano.

A decisão mereceu uma série de críticas internacionais. Vários países, como França, Reino Unido, China ou Portugal, manifestaram receios pelas consequências, nomeadamente uma escalada da violência.

Jerusalém tem sido a grande pedra no sapato nas tentativas de resolução do conflito israelo-palestiniano, dado que os dois lados não chegam a um acordo sobre as fronteiras no interior da cidade. Como tal, nenhum estado até hoje optou por reconhecer a cidade como capital de Israel, com receio de que tal fosse encarado como uma tomada de partido pelos israelitas, podendo fazer descarrilar qualquer esforço de paz ou provocar os palestinianos a uma nova “Intifada”.

Recomendadas

PremiumGeorge Clooney e o Speedmaster ’57

Coincidindo com o 65º aniversário da linha Speedmaster, a coleção completa Omega Speedmaster ’57 inclui agora oito novos modelos.

Chefes da diplomacia da Rússia e da Guiné Equatorial reuniram-se

Os dois ministros salientaram a importância crucial da segunda Cimeira Rússia-África, a realizar em São Petersburgo em 2023, para o reforço das diversas relações da Federação Russa com nações africanas, adianta-se no comunicado.

Cancelados dois concertos de Roger Waters na Polónia devido a posicionamento pró-russo

O co-fundados dos Pink Floyd iria atuar em Cracóvia em abril do próximo ano, na sala de espetáculos “Tauron Arena”, mas, segundo adiantam alguns meios de comunicação da Polónia, as autoridades polacas pretendem declarar Roger Waters como ‘persona non grata’.
Comentários