Liga de clubes e tutela indignados com incidente com criança em Famalicão

“Se queremos que o futebol seja uma festa para as famílias, temos de refletir quanto ao significado de uma criança ser obrigada a despir a camisola do seu emblema pelo simples facto de estar numa bancada onde a maioria dos adeptos torce por outro clube. Não é este o futebol que queremos”, insurgiu-se Pedro Proença, nas redes sociais.

Presidente da Liga Portugal, Pedro Proença

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Pedro Proença, criticou hoje a situação vivida sábado em Famalicão, quando uma criança foi obrigada a despir uma camisola do Benfica, gesto igualmente censurado pelo responsável da tutela pelo desporto.

“Se queremos que o futebol seja uma festa para as famílias, temos de refletir quanto ao significado de uma criança ser obrigada a despir a camisola do seu emblema pelo simples facto de estar numa bancada onde a maioria dos adeptos torce por outro clube. Não é este o futebol que queremos”, insurgiu-se Pedro Proença, nas redes sociais.

No desafio da sexta jornada da I Liga, disputado no sábado, em Vila Nova de Famalicão, uma criança terá sido obrigada a despir a camisola do Benfica numa bancada em clara maioria de adeptos locais, gesto reprovado pelo responsável máximo da entidade que organiza os campeonatos profissionais.

Pedro Proença recorda que o incidente ocorreu na semana em que os capitães das equipas profissionais assinaram a Carta pela Integridade, destacando ainda o gesto “magnífico” do jogador do Santa Clara que parou o jogo, em posição vantajosa, depois de acertar no rosto de rival do Vitória de Guimarães, bem como a “bonita” ação do FC Porto na homenagem a adepto octogenário.

Já o Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Correia, diz que o que se passou exige “o maior protesto”, pelo que entende que “as entidades envolvidas têm de prestar esclarecimentos pelo sucedido”.

“Esta criança foi vítima de intolerância implacável num estádio de futebol por parte de representantes do promotor do jogo. Foi ainda submetida à indignidade de ficar semi-despida para que pudesse continuar a assistir ao jogo”, justificou.

No seu sítio oficial, o Benfica também lamentou o sucedido, em comunicado.

“O Sport Lisboa e Benfica lamenta que num futebol que se quer cada vez mais inclusivo, capaz de trazer cada vez mais famílias para os jogos, adeptos com camisolas do Benfica, incluindo crianças, tenham sido obrigados a despi-las para poderem assistir ao jogo”, escreveu o Benfica, rematando: “Queremos um futebol diferente e todos temos de contribuir para isso”.

O desafio da sexta jornada da Liga foi vencido pelo Benfica, por 1-0, com um golo de Rafa, que permitiu que os ‘encarnados’ continuassem a lidera o campeonato em solitário, com o pleno de 18 pontos.

Recomendadas

Grupo de direitos das mulheres apela à FIFA que exclua Irão do Campeonato do Mundo

“Por que a FIFA daria ao Estado iraniano e aos seus representantes um palco global, enquanto não apenas se recusa a respeitar os direitos humanos e dignidades básicos, mas atualmente está a torturar e matar o seu próprio povo?”, questionam na carta enviada ao representante do organismo.

Violência no futebol: o que muda com as novas leis? Veja o “Jogo Económico”

Vêm aí novas leis destinadas ao combate da violência no desporto e nesta edição, vamos conhecer ao detalhe as medidas que estão a ser preparadas para o Governo e perceber se se adequam à realidade do fenómeno em Portugal. Daniel Seabra, antropólogo e professor universitário com obra publicada sobre o fenómeno das claques em Portugal, é o convidado do “Jogo Económico”.

SAD Sporting aprova contas, remunerações e nova direção sem Holdimo

A SAD do Sporting aprovou os 11 pontos discutidos na Assembleia Geral da sociedade, que terminou durante a madrugada desta sexta-feira, entre as quais as contas, as remunerações e o novo conselho de administração para 2022-2026, sem a Holdimo.
Comentários