Liga dos Campeões: Três ‘grandes’ encaixam mais de 100 milhões de euros

O FC Porto, Sporting e Benfica já asseguraram em conjunto 106,144 milhões de euros pela participação na fase de grupos da edição 2022/23 da Liga dos Campeões de futebol,

O campeão nacional FC Porto, o Sporting e o Benfica já asseguraram em conjunto 106,144 milhões de euros pela participação na fase de grupos da edição 2022/23 da Liga dos Campeões de futebol, que arranca na terça-feira.

Se os ‘dragões’ receberam 39,517 milhões de euros da UEFA por serem um dos 32 finalistas da maior prova europeia de clubes, as ‘águias’, que já bateram os dinamarqueses do Midtjylland e os ucranianos do Dinamo Kiev nas pré-eliminatórias, somam 38,48 e os ‘leões’ 28,147.

Além da verba fixa de 15,64 milhões de euros como prémio de presença, os três ‘grandes’ vão ainda extrair receitas variáveis, desde a prestação nas fases seguintes da competição até ao montante associado a direitos televisivos, além do lugar no ‘ranking’ europeu a 10 anos.

Entre os participantes da edição de 2022/23, o FC Porto é 12.º classificado na tabela da UEFA, pelo que tem direito a 23,877 milhões de euros (21 vezes o valor unitário de 1,137), o Benfica, enquanto 13.º, a 22,74 (20 vezes 1,137) e o Sporting, 22.º, a 12,507 (11 vezes 1,137).

No topo da tabela está o campeão espanhol e europeu Real Madrid, recordista de êxitos da prova (14), com 52,024 milhões de euros, enquanto o campeão israelita Maccabi Haifa, de regresso à fase de grupos da ‘Champions’ 13 anos depois, é o lanterna-vermelha, com 16,777.

Atrás dos ‘merengues’, completam o ‘top-10’ Bayern Munique, FC Barcelona, Juventus, Chelsea, Atlético de Madrid, Paris Saint-Germain, Manchester City, Liverpool e Sevilha, com o Borussia Dortmund a ser 11.º colocado, à frente do campeão nacional FC Porto.

Uma vitória na fase de grupos vale 2,8 milhões de euros e cada empate está cotado em 930 mil euros, sendo que os dois primeiros classificados de cada uma das oito ‘poules’ recebem uma ‘prenda’ de 9,6 milhões de euros por atingirem a primeira fase a eliminar da prova, os oitavos de final.

Com valores idênticos a 2021/22, a chegada aos quartos de final vale 10,6 milhões de euros, a ida às ‘meias’ 12,5 e a presença na final mais 15,5, havendo ainda 4,5 destinados ao campeão.

Os 32 clubes participantes na próxima edição da Liga dos Campeões têm, assim, ao seu alcance, além da verba que já garantiram, um máximo de 69,5 milhões de euros, montante que seria alcançado pelo vencedor da prova, com triunfos nos seis encontros da fase de grupos.

A UEFA distribuirá também 300,3 milhões de euros de ‘market pool’, associado aos direitos televisivos, em função do valor proporcional dos países e dos respetivos clubes participantes, que arrecadam metade pela prestação no campeonato doméstico em 2021/22 e a verba remanescente consoante a quantidade de jogos realizados esta época na ‘Champions’.

O FC Porto, como campeão em título, tem direito a receber 45% da quota destinada a Portugal, o Sporting, vice-campeão, a 35%, e o Benfica, terceiro classificado, a 20%.

As seis jornadas da fase de grupos da 68.ª edição da Liga dos Campeões serão jogadas excecionalmente a partir de terça e quarta-feira e até 01 e 02 de novembro, por causa da fase final do Mundial2022, que decorre de 20 de novembro a 18 de dezembro, no Qatar.

A final da prova está agendada para 10 de junho de 2023, no Estádio Olímpico Atatürk, em Istambul, na Turquia, destino original dos confrontos decisivos de 2020 e 2021, que foram transferidos para Lisboa e Porto, respetivamente, devido à pandemia de covid-19.

Recomendadas

Wolves. A um mês do Mundial, o maior fornecedor da Seleção Nacional está em crise profunda

A pouco mais de um mês para o Mundial, a Seleção portuguesa corre o risco de ter uma boa fatia dos convocados a lutar pela manutenção na Premier League. O Wolves tem alguns dos melhores jogadores portugueses da atualidade, com um forte investimento sobretudo em jogadores da Gestifute. Tema estará em debate na edição desta sexta-feira do programa “Jogo Económico”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.

António Costa e Pedro Sánchez querem um Mundial2030 “para a paz”

“Já demonstrámos capacidade para organizar eventos de primeira linha. Portugal e Espanha estão prontos para receber, juntamente com a Ucrânia, o Mundial de futebol de 2030. Queremos um campeonato para a paz, mostrar o melhor do desporto, mas também os melhores valores da Europa”, escreveu o primeiro-ministro luso na rede social Twiiter, mensagem que também foi publicada pelo presidente do governo espanhol.
Comentários