Linha da Beira Baixa Guarda – Covilhã reabre hoje, 12 anos após encerramento

Com a renovação do troço da Linha da Beira Baixa Covilhã – Guarda, a partir de hoje, 2 de maio, passa a existir uma “oferta integrada” dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta, segundo a CP.

O troço ferroviário da Linha da Beira Baixa entre as cidades da Guarda e da Covilhã, que estava fechado desde 2009, reabre este domingo ao serviço comercial após obras de requalificação e de eletrificação.

Segundo informação disponibilizada pela CP – Comboios de Portugal, o primeiro comboio a circular no requalificado troço ferroviário é o comboio regional 5681 (com categoria de Intercidades), que sai da Covilhã às 06h08 e chega à estação da Guarda pelas 06h54.

O comboio, tal como todos os outros que vão circular a partir de hoje neste troço da Linha da Beira Baixa, tem paragem em todas as estações e apeadeiros localizados no troço Covilhã – Guarda (Caria, Belmonte/Manteigas, Maçainhas, Benespera e Barracão/Sabugal).

A primeira composição de passageiros a circular no sentido Guarda – Covilhã é o comboio Intercidades 540, que sairá da estação da Guarda às 07h07 e que chegará à Covilhã pelas 07h52.

Com a renovação do troço da Linha da Beira Baixa Covilhã – Guarda, a partir de hoje, 2 de maio, passa a existir uma “oferta integrada” dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta, segundo a CP.

A empresa referiu, em comunicado enviado à agência Lusa, que, na sequência da conclusão das obras de renovação integral do troço ferroviário que liga as duas cidades da Beira Interior, “vai implementar um novo modelo de oferta ferroviária, para dar resposta às necessidades de mobilidade das populações e que se traduz numa oferta integrada dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Beira Alta”.

A partir deste domingo “passam a circular, diariamente, entre a Covilhã e a Guarda, oito comboios Intercidades (quatro por sentido) e mais quatro comboios Regionais (dois por sentido), que vão efetuar paragem em todas as localidades, situadas entre as duas cidades”.

Para incentivar a mobilidade regional no novo percurso, o preço aplicado nas viagens entre as duas cidades “é sempre de tarifa Regional, quer os clientes viajem em Serviço Intercidades ou Regional”, remata.

O troço ferroviário que foi encerrado em 2009 e que hoje reabre à circulação vai ser inaugurado na terça-feira.

A cerimónia do ato de consignação da empreitada e do lançamento dos trabalhos, que incluíram a construção da Concordância das Beiras, troço de ligação entre a Linha da Beira Alta e a Linha da Beira Baixa, decorreu em 5 de março de 2018, na Covilhã.

O investimento total no projeto de modernização deste troço foi de cerca de 77 milhões de euros, 52 milhões dos quais respeitantes à obra física, que permitiu reabrir um troço que estava fechado desde 2009.

A obra integrou, entre outros trabalhos, a renovação integral de 36 dos 46 quilómetros do troço (dez já estavam intervencionados), bem como a reabilitação de seis pontes centenárias, a remodelação de estações e apeadeiros, drenagem e estabilização de taludes e a iluminação e automatização e supressão de passagens de nível.

Recomendadas

Músicos afegãos refugiados apresentam-se hoje ao vivo no festival Iminente em Lisboa

 Na génese deste projeto está a cooperativa cultural Largo Residências, de Lisboa, distinguida no ano passado com o prémio da Acesso Cultura na categoria de Acessibilidade Social.

Portugal está na frente na diretiva sobre plásticos de uso único

“Portugal está no pelotão da frente porque já transpôs grande parte” da diretiva e propôs até medidas bastante ambiciosas, por exemplo, em termos de redução de copos de bebidas e embalagens de plástico para ´take away´ (redução de 80% até final de 2026 e de 90% até 2030, tendo por referência os valores de 2022), diz o comunicado da Zero.
Comentários