Lisboa acompanha bolsas europeias na queda

O PSI 20, principal índice da praça portuguesa, abriu a cair 0,7% para 5.430,57 pontos, empurrado particularmente pelos setores financeiro, energético e retalho e em linha com as principais bolsas europeias.   Neste início de semana e de mês, Lisboa abriu em linha com as principais praças europeias, cujos índices refletem os receios dos investidores […]

O PSI 20, principal índice da praça portuguesa, abriu a cair 0,7% para 5.430,57 pontos, empurrado particularmente pelos setores financeiro, energético e retalho e em linha com as principais bolsas europeias.

 

Neste início de semana e de mês, Lisboa abriu em linha com as principais praças europeias, cujos índices refletem os receios dos investidores em relação à China, que esta manhã divulgou mais um indicador que revela que a sua atividade industrial está a contrair.

Mota Engil e EDP Renováveis registavam ao início da manhã quedas superiores a 1%.

No dia em que se após o fecho dos mercados, o BCP e o Banif vão apresentar os indicadores referentes aos primeiros nove meses, o título do banco liderado por Nuno Amado seguia, pouco depois da abertura, a negociar nos 5,23 cêntimos.

Por seu turno, o Banif também seguia estável nos 0,29 cêntimos. O Jornal de Negócios noticia: “Lei permite vender Banif com perda para o Estado”. Ou seja: o contrato de ajuda ao Banif prevê que o Estado recupere os 700 milhões que injetou no banco, mas a lei dá margem ao Governo para vender abaixo desse valor.

Em baixa seguem esta manhã igualmente as empresas de retalho: Jerónimo Martins perde 0,63% para 12,705 euros e Sonae SGPS recua 0,55% para 1,082 euros.

A influenciar negativamente o PSI 20 destaque ainda para o setor da energia: Galp Energia, EDP, EDP Renováveis e REN seguiam ao início da manhã todos em queda.

OJE

Recomendadas

Wall Street encerra no ‘vermelho’ contrariando ‘verde’ da Europa

O petróleo está a ser negociado em alta. O brent valoriza 0,74% para os 76,71 dólares e o crude sobe 0,10% para os 71,53 dólares.

PremiumPreço do petróleo caiu 45% desde máximo depois de invasão da Ucrânia

Apesar do embargo e do teto à Rússia, os preços do petróleo bateram mínimos anuais em três dias consecutivos esta semana.

Embargo europeu ao petróleo russo: o que esperar? Veja os gráficos da semana no “Mercados em Ação”

Veja os destaques na rubrica “Gráficos da Semana”, da responsabilidade de Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, no programa que contou com a análise de Mário Martins, administrador da ActivTrades Brasil.