Lisboa Games Week recebe 40 mil. Indústria vale milhões

A Lisboa Games Week terminou no domingo. Segundo a organização visitaram o certame cerca de 40 mil pessoas que tiveram a oportunidade de conhecer ao vivo os últimos lançamentos e antestreias apresentados pelos expositores. Na primeira edição o certame recebeu cerca de 30 mil visitantes. “A indústria dos videojogos vale mais do que a do […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A Lisboa Games Week terminou no domingo. Segundo a organização visitaram o certame cerca de 40 mil pessoas que tiveram a oportunidade de conhecer ao vivo os últimos lançamentos e antestreias apresentados pelos expositores. Na primeira edição o certame recebeu cerca de 30 mil visitantes.

“A indústria dos videojogos vale mais do que a do cinema e música juntas e, só em Portugal, já existem quase cem empresas nesta área”, revelaram responsáveis do Lisboa Games Week, à agência Lusa.

A organização já está a trabalhar na preparação da terceira edição deste evento que deverá ter o dobro do espaço e mais áreas temáticas. A Lisboa Games Week prolongou-se por quatro dias, na FIL, em Lisboa, e “consolidou a sua posição no calendário internacional das feiras de videojogos”.

Os jogos vintage – quem não se lembra do Spectrum na década de 1980 – a par das anteestreias  das grandes multinacionais, mas também a produção nacional e áreas formativas tiveram o seu espaço no evento.

O programa de iniciativas que decorreu nos espaços das marcas e estúdios internacionais presentes no evento, como a Playstation, Nintendo, Asus, EA, Warner, Lego, 2K, entre outros, deu um clima de saudável competição e energia a todo o evento e os visitantes puderam experimentar algumas das novidades apresentadas, como a Playstation VR, novo sistema de realidade virtual, que irá ser lançado em 2016, entre outros lançamentos.

O OJE foi sentir o ambiente e ente os visitantes muitos incorporaram o espírito deste tipo de “convenção”, vestidos a preceito. Entre outros, era possível cruzar-se com a Legião 501 Portugal, o braço português do “exército de Darth Vader”.

Legion 501 @ Lisboa Game Week

Os visitantes puderam experimentar, divertir-se, aprender, enquanto se concretizavam negócios nesta feira de videojogos e não só.

Estiveram presentes mais de 100 empresas no local que promoveram apresentações, passatempos e competições nos 10 mil metros quadrados da feira.

O certame foi organizado em parceria entre a FIL – Feira internacional de Lisboa e a E2Tech. O grupo de trabalho já está a preparar a próxima edição, avançam em comunicado.

O Lisboa Games Week regressa, em 2016, com dois pavilhões, uma área de 20 mil metros quadrados, com mais postos de experimentação dos jogos novidade e em lançamento, com novas actividades e áreas temáticas.

“A oferta formativa, que nesta edição contou com a presença dos melhores developers nacionais e produtores internacionais de referência, deu aos jovens uma perspectiva mais técnica e profissional e o dinamismo de como tudo funciona, abrindo os seus sonhos e horizontes, através do programa de visitas de estudo do evento”, explica a organização.

Estiveram presentes mais de 30 Youtubers e muitos fãs – alguns esperaram bastante tempo na fila – puderam estar frente-a-frente a conversar ou a tirar fotos com alguns dos seus ídolos.

Realizaram-se ainda concursos e passatempos com a comunidade Cosplayer, que dava ao espaço um misto de realidade e fantasia. Estiveram presentes estúdios e editoras nacionais de videojogos de referência, com jogos já lançados e outros em fase de desenvolvimento, mostrando ao público e empresas o que de melhor se faz em Portugal.

Para Ivan Barroso, responsável pelo espaço Made in Portugal, “Eventos como o Lisboa Games Week, ajudam a aproximar o grande público à produção nacional de videojogos. Esta indústria é, provavelmente, uma das mais importantes para Portugal neste novo milénio, e durante os quatro dias do Lisboa Games Week, o público apercebeu-se que apesar de parecerem ‘só jogos’, não são ‘uma brincadeira’.”

Os jogos de tabuleiro também estiveram presentes numa pequena área do certame.

Mafalda Simões Monteiro/OJE

Recomendadas

“Modo goblin”. A recém-eleita ‘palavra’ de 2022 da Oxford espelha o peso da realidade

O termo refere-se a “um tipo de comportamento que é assumidamente autoindulgente, preguiçoso ou desleixado, tipicamente de uma forma que rejeita normas ou expectativas sociais”. “Dado o ano que estamos a viver, o ‘modo goblin’ ressoa em todos nós que estamos um pouco sobrecarregados neste momento”, disse Grathwohl, citado pelo “The Guardian”.

PremiumNancy Pelosi: o render da guarda da guardiã dos velhos democratas

Devidamente independente para uns, demasidado independente para outros, a “louca Nancy Pelosi”, como Trump lhe chamava, é apenas dois anos mais velha que Joe Biden

“Noto em Portugal uma cultura relojoeira cada vez mais robusta”

Enquanto administrador do Grupo Tempus, distribuidor exclusivo para Portugal de marcas de referência, David Kolinski tem a certeza de que as insígnias representadas pela sua empresa continuarão a saber surpreender os seus clientes com lançamentos e coleções inesperadas.