Lisboa vai ter duas novas estações de metro em 2021

A expansão da linha custará 215 milhões de euros.

Rafael Marchante/Reuters

A garantia é do Governo, que já fechou os detalhes do plano de prolongamento da linha amarela entre o Rato e o Cais do Sodré, avança o jornal Público na edição de hoje. No Porto, o diário explica que a expansão da rede ainda procura consensos, “embora já haja uma base de trabalho que aponta para a necessidade de um investimento que pode chegar a 270 milhões.”

“Se, no domínio dos estudos da procura, as duas soluções tinham resultados semelhantes, a linha amarela tem uma característica que consideramos muito importante. A rede de metro deve ser sempre pensada num contexto mais alargado de mobilidade e sentimos hoje que o principal problema nos transportes em Lisboa é a inexistência de uma ligação directa do rio ao eixo central. Com este anel circular, esse problema deixa de existir”, afirmou o ministro do Ambiente, Matos Fernandes, ao Público.

O jornal aponta ainda que a primeira estação fique localizada ao cimo da calçada da Estrela, em frente ao antigo hospital militar, e que a segunda seja construída entre o Instituto Superior de Economia e Gestão e a Avenida D. Carlos I.

O ministro Matos Fernandes revelou ainda ao Público que os planos para Lisboa incluem novos acessos a partir do Cais do Sodré para que ” todos os utentes dos comboios da linha de Cascais e que os dos barcos que chegam ao Cais do Sodré possam ter uma penetração muito mais fluída na cidade”.

Recomendadas

Banco Nacional de Angola desce juros, em contraciclo com os outros bancos centrais

O comité que decide a política monetária angolana justificou a descida dos jurps com a “consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”.

CAP contesta que tese de que subsídios dados aos agricultores sejam “perversos”

“A temática da água, do seu bom uso e utilização como recurso, é um assunto levado muito a sério pelos agricultores e demasiado importante para se subordinar a declarações falsas e difamatórias de um único responsável”, refere a confederação em resposta a Joaquim Poças Martins.

Goldman Sachs alerta para alastramento da inflação na zona euro e prevê mais 75 pontos nos juros em outubro

A pressão nos preços do bloco da moeda única dá sinais de se alastrar a vários sectores, levando o banco de investimento a rever em alta a sua projeção para a inflação subjacente em 2023. Reunião de outubro do BCE deve trazer nova subida de 75 pontos base, acrescenta.
Comentários