Lisbon Square: Alcântara vai ganhar 86 apartamentos de luxo

O projeto está a ser desenvolvido pelo grupo OptylonKrea. Os apartamentos vão ter tipologias entre T0 e T2, com áreas entre os 29 e os 138 metros quadrados, contando com serviços como limpezas, lavandaria e transporte para o aeroporto.

A zona de Alcântara em Lisboa vai ter um novo empreendimento, o Lisbon Square com 86 apartamentos divididos por cinco edifícios. O projeto conta com um total de 25 mil metros quadrados e vai ficar localizado junto ao novo hospital da CUF.

O Lisbon Square foi projetado pelo arquiteto Frederico Valsassina e está a ser desenvolvido pelo grupo franco-turco OptylonKrea que conta com investimentos de 1,6 mil milhões de euros em Portugal, Turquia e Roménia.

A empresa revela que os 86 apartamentos vão ter tipologias entre T0 e T2, com áreas entre os 29 e os 138 metros quadrados, segundo o panfleto do projeto que não revela preços.

A empresa já conta com vários projetos imobiliários em Lisboa: São Nicolau 119, Alexandre Herculano 18, Santa Justa 79 e Douradores One. Este projeto vai ostentar a marca Prima Collection, criada pelo grupo em 2017 de apartamentos com serviços, como serviço de concierge, de limpezas, lavandaria e transferência para o aeroporto.

Conforme revelou hoje o “Jornal de Negócios”, o valor do investimento está estimado em 147 milhões de euros, segundo o presidente da empresa, William Tonnard. Os terrenos pertenciam ao Santander e foram comprados em outubro de 2019, por um valor não revelado. O projeto deverá estar concluído em 2024 e, além dos apartamentos, vai contar com um aparthotel, comércio e serviços.

Na zona de Alcântara foi anunciado outro projeto recentemente. Um grupo de investidores internacionais comprou por 50 milhões ao grupo Auchan os edifícios da antiga fábrica de massas ‘A Napolitana’. Com uma área de 12 mil metros quadrados, os investidores querem construir no local uma escola privada.

Recomendadas

EDP emite 500 milhões de dólares de ‘green bonds’ a 5 anos

Esta emissão destina-se ao financiamento (ou refinanciamento) do portfólio de projetos renováveis elegíveis da EDP, anuncia a empresa.

Metro de Lisboa tem um novo Provedor do Cliente e é o ex-ministro Vieira da Silva

Vieira da Silva foi eleito Provedor do Cliente do Metro de Lisboa, mas é “um contrato de prestação de serviço não remunerado”. O mandato é de um ano, renovável sucessivamente por iguais períodos.

“Nem eu nem a FPF quisemos criar esquema para iludir a AT”, defende selecionador sobre empresa que detém

Fernando Santos pretendia a anulação de liquidação de IRS no valor de cerca de 4 milhões de euros, verba relativa aos anos 2016 e 2017, sabe o JE. O contrato celebrado entre o selecionador e a FPF foi efetuado através de uma empresa, sendo que o respetivo IRC já foi liquidado.
Comentários