Liz Truss anuncia novo Governo

À frente das Finanças ficará o leal apoiante de Truss, Kwasi Kwarteng. A ex-procuradora-geral Suella Braverman substitui a ex-secretária do Interior Priti Patel, e James Cleverly, anteriormente com a pasta da Educação, sucede a Truss à frente da definição da política externa do Reino Unido.

Toby Melville/Reuters

A nova primeira-ministra britânica, Liz Truss, indigitada esta terça-feira pela Rainha Isabel II depois de ser eleita para líder do Partido Conservador ontem, anunciou esta noite o seu novo Gabinete via Twitter. Para os principais ministérios foram nomeados Kwasi Kwarteng (Finanças), Suella Braverman (Administração Interna) e James Cleverly (Negócios Estrangeiros).

Para as Finanças, Kwasi Kwarteng sucede a Nadhim Zahawi, que substituiu Rishi Sunak quando este se demitiu do Governo de Boris Johnson — e desencadeou o leque de demissões que levaram à sua destituição, concorrendo depois com Truss pela liderança dos conservadores e do país. Kwarteng era detentor da pasta dos Negócios, Energia e Estratégia Industrial e longo apoiante da atual chefe do Executivo. Agora, será responsável pela gestão do aumento vertiginoso da inflação, sendo que a nova primeira-ministra (que é publicamente admiradora de Margaret Tatcher, que liderou o país nos anos 80 com uma política economicamente neoliberal) chegou a dizer-se adepta de uma espécie de choque fiscal que passasse pela diminuição da carga dos impostos.

A ex-procuradora-geral Suella Braverman substitui a ex-secretária do Interior Priti Patel, que se demitiu horas depois de Liz Truss vencer a disputa pela liderança conservadora e herdar o número 10 em Downing Street.  Um dos temas que marcará a sua legislatura será a polémica deportação de migrantes para o Ruanda que começou este verão e estipula que quem chega ilegalmente ao país será enviado para a nação africana para ser processado, com o objetivo de desmantelar redes de tráfico humano, segundo o Governo.

Cleverly, antes com a pasta da Educação, sucede a Truss à frente da definição da política externa do Reino Unido. Vai ter pela frente desafios como a manutenção da posição do Reino Unido em relação à guerra na Ucrânia, e o regresso do confronto com a União Europeia a propósito do Brexit, nomeadamente em relação ao Protocolo da Irlanda do Norte, que tem criado problemas desde o primeiro dia.

Recomendadas

Guterres manifestou a embaixador russo oposição a anexação de territórios

Antes, António Guterres alertou a Rússia que a anexação de territórios ucranianos “não terá valor jurídico e merece ser condenada”, frisando que “não pode ser conciliada com o quadro jurídico internacional”.

Brasil. Equipa assegurará “perfeita realização” das eleições em Portugal

Paulino Franco de Carvalho Neto, secretário de assuntos multilaterais políticos do ministério, designado como Itamaraty, disse em conferência de imprensa no consulado-geral do Brasil em Lisboa que o ministro Carlos França enviou uma equipa para acompanhar os serviços dos consulados em Portugal durante o ato eleitoral.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.
Comentários