PremiumLiz Truss não quer ser um remake de Theresa May, mas pode bem vir a ser

Outra vez: em princípio, uma nova primeira-ministra substituirá um primeiro-ministro caído em desgraça, tudo isto Reino Unido, tudo isto tendo como protagonistas personagens do Partido Conservador.

Os envolvidos são diferentes; a seu tempo, Theresa May substituiu David Cameron e possivelmente Liz Truss substituirá Boris Johnson. Os tempos são diferentes, os porquês das saídas dos primeiros-ministros são imensamente diferentes, as mulheres que os substituem são necessariamente diferentes. O problema é que ambas, May e Truss, têm outra coisa em comum: o projeto de governo que têm de levar por diante não é delas – e pela mesma razão: ambas eram contra o Brexit. Como Theresa May, Liz Truss terá todos os dias que deixar uma parte de si em casa quando for tomar conta do executivo e isso, mesmo que não faça toda a diferença, há de fazer alguma diferença.

Ainda ministra das Relações Exteriores do Reino Unido, Truss permaneceu leal a Boris Johnson enquanto este protagonizava as suas pantominas engraçadas mas pouco credibilizantes, muito desajustadas do lugar que ocupava depois de conseguir uma maioria absoluta muito significativa e muito inesperada.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Premium1828, a revolução das carnes

Provavelmente, estas são as melhores carnes do mundo e podem ser degustadas no Steak house 1828, um dos 12 espaços de restauração que constituem a oferta gastronómica diversificada do WOW – World of Wine, em Vila Nova de Gaia.

PremiumMudar o sector alimentar para atingir metas de carbono zero

Mesmo que todas as emissões nocivas fossem imediatamente interrompidas, as emissões do sistema alimentar global seriam suficientes para elevar o limite de subida da temperatura global em 1,5°C graus.

PremiumGiorgia Meloni tem dois amores que em nada são iguais

Matteo Salvini com certeza estará convencido que os Irmãos de Itália lhe roubaram a vitória que lhe estava prometida desde há quatro anos e esse pode ser o pior pesadelo de Meloni.
Comentários