Lucro da Altri cresce 56,9% para quase 70 milhões de euros

No primeiro semestre, as receitas do grupo subiram 41,8% (37,8% no segundo trimestre) para 521,7 milhões. O EBITDA cresceu 32,7%, mas a margem de EBITDA encolheu perante a inflação dos custos variáveis.

O Grupo Altri fechou o primeiro semestre do ano com resultados líquidos de 69,6 milhões de euros, mais 56,9% que os 44,4 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. Ao mesmo tempo, as receitas subiram 41,8% para os 521,7 milhões – foram de 367,8 milhões no primeiro semestre de 2021 – verificando-se também uma subida de 37,7% nas receitas do segundo trimeste em relação ao homólogo do ano passado. No segundo trimestre, os lucros ascenderam a 39,8 milhões, um crescimento de 23,6% face ao mesmo trimestre de 2021.

O EBITDA atingiu os 130,8 milhões de euros no primeiro semestre, um aumento de 32,7%, sendo que no segundo trimestre ascendeu aos 69,8 milhões. A margem EBITDA foi de 25,1%, -1,7 p.p. comparando com o período homólogo, sendo de 25,6% no segundo trimestre, uma quebra de 7,6 p.p. face ao mesmo período do ano anterior, refletindo o aumento dos custos registado.

Por outro lado, e em comunicado enviado à CMVM, o grupo diz que a Altri reforçou o investimento em 60% – enquanto a decisão final de investimento na Galiza será tomada apenas no primeiro semestre de 2023.

Citado pelo comunicado, o CEO do grupo, José Soares de Pina, afirmou que “o Grupo Altri manteve uma forte performance operacional no segundo trimestre, mas também no acumulado do primeiro semestre deste ano. Apesar da paragem programada da Biotek, foi possível alcançar um elevado volume de produção de fibras celulósicas fruto da cada vez maior eficiência das operações na Caima, Celbi e a própria Biotek”.

A conjugação da dinâmica da procura com a subida dos preços traduziu-se positivamente nos indicadores financeiros do Grupo Altri, refere ainda. Mas nem tudo é positivo: “o contexto de forte aumento dos preços da energia e de matérias-primas, em especial dos produtos químicos e madeira, tem limitado a expansão da rentabilidade e margens obtidas pelo Grupo Altri”.

O CEO especifica que “grande parte do aumento de 60% no investimento explica-se com o projeto ‘Caima Go Green’, que vai permitir que esta seja a primeira unidade ibérica, e uma das primeiras na Europa, a funcionar sem combustíveis fósseis”.

Durante o mês de maio de 2022, o Grupo Altri distribuiu aos seus acionistas um dividendo em numerário de €0,24 por ação e ainda um dividendo em espécie correspondente a 52.523.229 ações da GreenVolt. Esta operação foi extremamente bem recebida pelo mercado e pelos acionistas.

A dívida líquida do Grupo Altri no final do segundo trimestre era cerca de 356,9 milhões de euros, um aumento face a 303,3 milhões no final do primeiro trimestre. Este aumento resulta essencialmente da distribuição de dividendos no montante de 49,2 milhões de euros e do pagamento da retenção na fonte relativa ao dividendo em espécie (29,9 milhões). Este nível de dívida equivale a um rácio de Dívida Líquida/EBITDA LTM de 1.4x.

Esta operação, realizada durante o segundo trimestre, explica parte do aumento da dívida líquida do Grupo Altri que ascendia a 356,9 milhões de euros, acima dos 303,3 milhões registados no final do primeiro trimestre deste ano. Mesmo considerando o investimento líquido total de cerca de 18,8 milhões de euros na primeira metade do ano (aumento de 59,3% face ao período homólogo), que inclui 6,1 milhões para a nova caldeira de biomassa da Caima, o rácio de Dívida Líquida/EBITDA LTM mantém um nível confortável de 1.4x.

A Altri definiu quatro vetores estratégicos de desenvolvimento que centram a sua atividade e os seus futuros investimentos: valorizar as pessoas; desenvolver e valorizar a floresta; apostar na excelência operacional e na inovação tecnológica; e afirmar a sustentabilidade como fator de competitividade.

“Com base nesta estratégia, foram identificados os principais objetivos de sustentabilidade para o Grupo, alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, e com as expectativas dos nossos stakeholders”, refere o texto.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Escassez de trabalhadores no turismo? AHRESP apresenta nove medidas para resolver o problema

Desde a criação de estratégias criativas para atrair e reter profissionais à elaboração de um ‘Livro Verde do Mercado do Trabalho HORECA’, conheça as medidas apresentadas pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.

Gás de garrafa. Preços passam a ter teto máximo a partir de terça-feira

Governo decidiu impor tetos máximos nos preços das botijas até ao final de outubro.
Comentários