Lucro do Banco Caixa Geral Brasil cai mais de 50%

O Banco Caixa Geral Brasil teve nos primeiros nove meses deste ano um lucro de meio milhão de euros na sua atividade no Brasil, menos de metade do resultado de 1,1 milhões de euros que tinha alcançado em igual período do ano passado.

Segundo o site Portugal Digital, especialista em notícias para a comunidade luso-brasileira, o desempenho negativo do Banco Caixa Geral Brasil, no terceiro trimestre, deixou a operação brasileira do banco estatal português com um resultado distante do conseguido no ano passado.

O Banco Caixa Geral Brasil teve nos primeiros nove meses deste ano um lucro de meio milhão de euros na sua atividade no Brasil, menos de metade do resultado de 1,1 milhões de euros que tinha alcançado em igual período do ano passado, avança o site.

A CGD chegou no primeiro semestre deste ano a ter um lucro de 1,2 milhões de euros na sua operação no mercado brasileiro (BCG Brasil), mas no terceiro trimestre o grupo acabou por sofrer um prejuízo que cortou para 0,5 milhões o resultado acumulado desde o início do ano.

A Caixa não especifica no seu relatório e contas dos primeiros nove meses do ano os motivos da deterioração de resultados no Brasil.

 

Recomendadas

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.

Bankinter é mecenas da exposição “Faraós Superstars” na Fundação Gulbenkian

A exposição “Faraós Superstars” pretende fazer uma reflexão sobre a popularidade dos faraós, reunindo 250 peças de importantes coleções europeias, provenientes de diferentes períodos históricos, desde antiguidades egípcias, passando pelas iluminuras medievais e pintura clássica até à música pop.

PremiumMapfre “atentíssima” à Fidelidade ou a seguradoras em crise

Há seguradoras com debilidades em Portugal, pressionadas pelo ramo automóvel, que estão na mira da Mapfre. O grupo admite crescer através da aquisição destas entidades, mas também não descarta olhar para a Fidelidade caso a Fosun decida vender.
Comentários