Lucros da Johnson & Johnson caem mais de 25% no quarto trimestre face a 2021

Os resultados da farmacêutica, conhecidos esta terça-feira, demonstram uma quebra nos lucros trimestrais superior a 25%, quando comparados com 2021. Em causa está uma queda acentuada das vendas de vacinas contra a Covid-19.

Pavlo Gonchar–SOPA Images/LightRocket/Getty Images

A farmacêutica e fabricante de utensílios médicos e produtos pessoais de higiene, Johnson & Johnson, divulgou os resultados do quarto trimestre de 2022, tendo registado um lucro anual de 17,94 mil milhões de dólares, que ficou abaixo do lucro atingido no final do ano de 2021 de 20,87 mil milhões de dólares.

No quarto trimestre de 2022 os lucros diminuíram em relação a 2021, tendo a empresa obtido 3,52 milhões de dólares, uma diminuição de 25,7% face ao ano anterior. As vendas também registaram um decréscimo no quarto trimestre, onde a empresa obteve 23,7 mil milhões de dólares, representando uma diminuição de 4,4% face ao ano passado. Esta queda aconteceu principalmente pela redução das vendas das vacinas contra a Covid-19.

No total do ano a empresa registou um lucro de 94,94 milhões de dólares, um aumento de 1.3% face ao ano anterior.

Face ao ano de 2019, um ano pré-Covid, os lucros anuais aumentaram (15,11 milhões de dólares), mas os rendimentos líquidos do quarto trimestre de 2019 são superiores aos de 2022 (4,01 milhões de dólares).

 

Recomendadas

Greve na CP. 206 comboios suprimidos até às 20h00, dos 1.218 que estavam programados

A greve dos trabalhadores da CP, que começou hoje e se prolonga até ao dia 21 de fevereiro, suprimiu, até às 20h00, 206 comboios, disse fonte oficial da operadora ferroviária à Lusa.

TAP. Sitava aprova redução dos cortes salariais para 20%

O plenário de trabalhadores convocado pelo Sitava aprovou esta quarta-feira a proposta de acordo da TAP, que prevê a redução dos cortes salariais de 25% para 20%. Assim, não se antecipa nenhuma greve.

Chinesa Alibaba promete rival do ChatGPT e ações disparam

A promessa do ChatGPT motivou as gigantes tecnológicas a fazerem avultados investimentos nas tecnologias de Inteligência Artificial. A Google deu um tiro no pé com o Bard e viu as ações tombarem quase 10%. Agora, a Alibaba anuncia um produto rival.
Comentários