Lucros do Banco de Fomento sobem 135% para 22,9 milhões de euros em 2021

“Este aumento explica-se, essencialmente, pelo crescimento do produto bancário que passou de 31,89 milhões de euros, em 2020 para 44,69 milhões de euros no ano em análise”, ou seja, subiu 40%.

O Grupo Banco Português de Fomento (BPF) alcançou um resultado líquido consolidado em 2021 de 22,86 milhões de euros, valor que se traduz num aumento de 135% quando comparado com os 9,70 milhões de euros registados no período homólogo. As contas foram aprovadas esta segunda-feira em Assembleia Geral da instituição ainda liderada por Beatriz Freiras.

“Este aumento explica-se, essencialmente, pelo crescimento do produto bancário que passou de 31,89 milhões de euros, em 2020 para 44,69 milhões de euros no ano em análise”, ou seja, subiu 40%.

“Através dos seus instrumentos, o Banco Português de Fomento (BPF) apoiou, em 2021, cerca de 13.000 empresas, por via de 2.115 milhões de euros de financiamento garantido por linhas de garantia mútua, do coinvestimento de 49,9 milhões de euros em empresas, através de instrumentos de capitalização, e do financiamento de 18,7 milhões de euros em instrumentos de dívida”, lê-se no comunicado.

O BPF dispõe de 30 linhas de garantia mútua e 14 instrumentos de capital, dos quais destaca em 2021, o lançamento de linhas adicionais no âmbito do quadro de apoio à pandemia Covid-19 e do Fundo de Capitalização e Resiliência.

Beatriz Freitas, CEO e Presidente do Conselho de Administração do BPF, considera que “o ano de 2021 foi bastante desafiante para o Banco e para as suas equipas” porque “por um lado, foi chamado a intervir na execução e desenvolvimento de soluções de financiamento e investimento para as empresas, quer no âmbito das medidas do combate ao impacto do Covid-19, quer na implementação do PRR” e, “por outro, em 2021 registou a alteração dos seus órgãos de administração, bem como de políticas e procedimentos de fiscalização e reorganização interna”.

O banco salienta que, “durante o ano de 2021, desenvolveu um trabalho assinalável no que diz respeito ao desenvolvimento do seu modelo organizacional e de controlo interno, nomeadamente através da aprovação de um quadro de normativo interno estruturante em matéria de modelo de governação, controlo interno, proteção de dados e segurança de informação, com a disseminação do mesmo por todos os colaboradores, com o objetivo de promover uma sólida cultura organizacional”.

“Os dados da atividade referente ao ano de 2021 resumem a enorme relevância que a instituição assume na promoção e no desenvolvimento económico de Portugal, apoiando o acesso ao financiamento e à capitalização para fomento do investimento, do empreendedorismo, da inovação, da internacionalização e da competitividade, assegurando a manutenção de emprego e promoção da sustentabilidade”, acrescenta o comunicado.

Recomendadas

Baluarte distinguida pela CFI como “Best Investment Management Team para Portugal”

A sociedade liderada por Pedro Silveira Assis “cumpriu os requisitos de acesso e apresentou (de acordo com o método ScorePME) um Índice de Desempenho e Solidez Financeira (IDS) Excelente, evidenciando uma Sustentabilidade Financeira acessível apenas a 5% das PME nacionais”, refere a Baluarte em comunicado.

BPI eleito “Banco do Ano 2022” pela revista The Banker

“O BPI tem a liquidez e o capital para continuar a apoiar a economia, a transição para a descarbonização, sem nunca esquecer o nosso compromisso com a banca responsável, num ambiente económico que requer um apoio especial aos mais vulneráveis”, refere o CEO.

Rauva diz que mais de 5 mil trabalhadores independentes e empresas estão descontentes com o processo de abertura de contas

O mesmo estudo revela que “dois em cada três dos inquiridos afirmam que não é fácil abrir uma conta bancária em Portugal e cerca de metade espera mais do que um dia para a conta estar disponível”.
Comentários