Lucros do Santander crescem 32% para 4.361 milhões

Os lucros do grupo Santander cresceram 32% nos primeiros nove meses do ano, para 4.361 milhões de euros, devido ao aumento das receitas obtidas, ao controlo de custos e às menores provisões. Num comunicado remetido à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanola, o Santander explica que na operação em Espanha os lucros líquidos […]

Os lucros do grupo Santander cresceram 32% nos primeiros nove meses do ano, para 4.361 milhões de euros, devido ao aumento das receitas obtidas, ao controlo de custos e às menores provisões.

Num comunicado remetido à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanola, o Santander explica que na operação em Espanha os lucros líquidos cresceram 124%, para os 822 milhões de euros.

Segundo o grupo, os resultados – acima do que previam os analistas – foram igualmente favorecidos pelo aumento obtido ao mesmo tempo nos três principais mercados do grupo, Espanha, Reino Unido e Brasil, algo que não ocorria desde 2009.

Nos primeiros noves meses do ano o crédito alcançou os 749.426 milhões de euros, mais 38 mil milhões do que no final de 2013 (ou mais cerca de 3%), tendo os depósitos e fundos de investimento crescido no mesmo período 8%, para 771.242 milhões de euros.

Durante o terceiro trimestre, o grupo registou um aumento de lucro de 10%, para 1.605 milhões de euros, o que representa o maior valor trimestral nos últimos três anos.

A Europa representou 52% dos lucros do grupo, a América Latina 39% e os Estados Unidos 9%.

O nível de crédito malparado desceu pelo terceiro trimestre consecutivo para 5,28%.

OJE/Lusa

Recomendadas

Crise/Inflação: Casais podem receber 125 euros pelo IBAN do reembolso do IRS

O apoio de 125 euros é individual, mas os casais que entreguem o IRS em conjunto e só tenham o IBAN do reembolso deste imposto confirmado nas Finanças recebem o apoio nessa conta bancária, esclareceu hoje fonte oficial.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.

Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.