Luís Menezes Leitão formaliza recandidatura a bastonário da Ordem dos Advogados

O atual bastonário da Ordem dos Advogados, Luis Menezes Leitão, anunciou que formalizou esta terça-feira em Lisboa a sua recandidatura ao cargo para o triénio 2023-2025.

De acordo com um comunicado sobre a formalização da recandidatura, a lista liderada por Luís Menezes Leitão é “a primeira a proceder à entrega das assinaturas exigidas a todos os candidatos a órgãos da OA”, cujo prazo para apresentação de propostas termina na próxima sexta-feira.

Além de Luís Menezes Leitão, que volta a candidatar-se a bastonário e ao Conselho Geral, a lista apresentada indica Isabel Menéres Campos para presidente do Conselho Superior, Silva Cordeiro para presidente do Conselho Fiscal e Paulo da Silva Almeida para Presidente do Conselho de Deontologia de Lisboa.

As eleições na Ordem dos Advogados estão marcadas para 28, 29 e 30 de novembro e, na eventualidade de uma segunda volta, repetem-se a 13, 14 e 15 de dezembro.

Já anunciaram a intenção de candidatura a bastonários da Ordem dos Advogados, mas ainda sem formalização, Paulo Valério, António Jaime Martins, Fernanda de Almeida Pinheiro, Paulo Pimenta e Rui Silva Leal.

Recomendadas

Tribunal de Coimbra julga ex-agente da PSP acusado de falsificar escalas de colegas

O ex-agente da PSP José Nogueira, condenado a 11 anos de prisão por assaltos a residências, regressa na segunda-feira ao Tribunal de Coimbra, num processo em que é acusado de falsificar escalas de colegas para receber pagamentos.

Meco: Supremo Tribunal de Justiça aceita recurso da defesa das famílias das vítimas

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) aceitou o recurso de revista excecional da defesa das famílias das vítimas que morreram na praia do Meco, em 2013, após a Relação de Évora ter considerado em julho o recurso improcedente.

Angola. Interpol confirma alerta vermelho para Isabel dos Santos

Desta forma, pede-se às autoridades policiais globais que localizem e prendam provisoriamente a filha do ex-presidente de Angola. A Lusa tinha avançado a 18 de novembro que a Interpol havia emitido um mandado de prisão internacional para dos Santos, mas a Interpol disse à “Reuters” que emitiu um aviso vermelho a pedido das autoridades angolanas.
Comentários