Luís Monteiro e Jorge Costa de fora das listas do Bloco para as legislativas

Catarina Martins e a deputada Mariana Mortágua continuam a encabeçar listas de Porto e Lisboa.

O Bloco de Esquerda (BE) já aprovou o programa eleitoral e listas de deputados pela Mesa Nacional do partido. A coordenadora do BE, Catarina Martins e a deputada Mariana Mortágua continuam a encabeçar listas de Porto e Lisboa.

De fora ficam deputados como Luís Monteiro, Jorge Costa e Maria Manuela Rola. Jorge Costa ficou conhecido pelo seu trabalho no sector da energia no Parlamento, em particular na comissão parlamentar de inquérito às rendas da energia.

Já Luís Monteiro anunciou este mês que não iria ser candidato enquanto estivesse a decorrer em tribunal um processo movido por si “contra uma difamação” de que terá sido alvo.

O bloquista foi acusado de violência doméstica por uma ex-namorada, acusação negada por Luís Monteiro.

“Fiz a queixa-crime para que a verdade fosse reposta, mas o processo judicial ainda decorre. Por essa razão, não farei parte das listas do Bloco de Esquerda para as eleições legislativas que se avizinha”, segundo uma publicação nas redes sociais.

Assim, no Porto além de Catarina Martins o BE conta também com nomes conhecidos como os deputados José Soeiro e Isabel Pires, que mudou de distrito, sendo que nas últimas legislativas concorreu por Lisboa.

Por sua vez, em Lisboa a lista é constituída por Mariana Mortágua, Pedro Filipe Soares, Bruno Maia, Beatriz Gomes Dias e Leonor Rosa. Deste grupo, o deputado Jorge Costa deixa o Parlamento. Quem também deixa a Assembleia da República é Maria Manuel Rola e Luís Monteiro.

Em Setúbal, o BE continua a contar com Joana Mortágua, mas também com Diana Santos e Daniel Bernardino. Já em Santarém os bloquistas mantém Fabíola Cardoso e Mariana Varela e em Coimbra José Manuel Pureza, Miguel Cardina, Anabela Marisa Azul.

A Mesa Nacional do BE também escolheu nomes como Mesa Nacional do partido José Gusmão, Igor Gago, Sandra da Costa para Faro, Pedro Cardoso para Guarda e Ricardo Vicente, Lina Oliveira e Carlos Ubaldo.

Quanto às prioridades do programa eleitoral o Bloco estabeleceu o compromisso com a lei de Bases da Saúde, com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o apoio à proposta de António Arnaut e João Semedo de exclusividade dos seus profissionais.

“O subinvestimento, aliado ao aumento da pressão privada sobre os quadros do SNS e à sua exaustão pelo longo esforço na resposta à pandemia, exige medidas decididas de efeito real, tanto na disponibilidade de efetivos médicos, de enfermagem e outros, mas também hospitalares e de equipamentos”, indica o BE na resolução política da Mesa Nacional do partido.

À parte do SNS, o partido liderado por Catarina Martins também definiu como prioridades “terminar a longa estagnação do salário médio em Portugal” e “a modernização do sistema de proteção social e a definitiva remoção das penalizações anacrónicas que continuam a ser impostas a um conjunto de reformados pela aplicação do fator de sustentabilidade”.

Os bloquistas têm ainda um quarto objetivo que remete para “a concretização da Lei do Clima, com passos concretos para a redução das emissões”, como “o aumento da rede de transportes públicos e o caminho para a gratuitidade dos passes”.

Relacionadas

Mesa Nacional do BE aprova hoje programa eleitoral e listas de deputados

No final da Mesa Nacional, que decorrerá num hotel em Lisboa, a coordenadora do BE, Catarina Martins, dará a habitual conferência de imprensa para apresentar as conclusões da reunião.
catarina_martins_oe_2020

Catarina Martins alerta que bloco central é o “Plano B” do PS se falhar maioria absoluta

Coordenadora aproveitou encerramento do Encontro Nacional do Bloco de Esquerda para acusar socialistas de terem iniciado uma “viragem à direita” a partir das legislativas de 2019.
Recomendadas

José Luís Carneiro, das comunidades portuguesas no estrangeiro à Administração Interna

José Luís Carneiro é o novo ministro da Administração Interna e regressa a um ministério no qual já desempenhou o cargo de assessor entre 1999 e 2000. O antigo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas tem uma forte ligação ao poder local.

PS conquista dois mandatos do círculo da Europa e reforça maioria absoluta para 120 deputados

Depois de na primeira votação, a 30 de janeiro, PS e PSD terem conquistado um mandato cada um no círculo da Europa, na repetição da votação, o PS acabou por eleger o cabeça-de-lista pelo círculo, Paulo Pisco, mas também o segundo nome na lista, Nathalie de Oliveira.
eleições_legislativas_voto_urna_votar

Legislativas: Governo diz que votaram 152 emigrantes no fim de semana

Segundo o Governo “esse número representa um acréscimo de 31% face aos 116 cidadãos que exerceram o seu direito de voto presencial” a 30 de janeiro.
Comentários