Lukashenko acusa Kiev de disparar mísseis contra a Bielorrússia

O presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, afirmou hoje que o seu exército intercetou mísseis disparados da Ucrânia que se dirigiam contra a Bielorrússia.

“Nós estamos a ser provocados. Eu tenho de vos dizer que há três dias, talvez mais, a Ucrânia tentou atingir alvos militares na Bielorrússia. Graças a Deus, os nossos sistemas anti-aéreos Pantsir intercetaram todos os mísseis disparados pelas forças ucranianas”, afirmou o governante, citado pela agência estatal Belta.

Na declaração, o Presidente bielorrusso garantiu que o seu país não tem “qualquer intenção de combater na Ucrânia”.

Desde a ofensiva militar lançada por Moscovo contra a Ucrânia, no final de fevereiro, a Bielorrússia, um aliado do Kremlin, tem servido de base de retaguarda para as forças russas.

As tropas russas avançaram da Bielorrússia para a Ucrânia com a intenção de tomar a capital ucraniana, Kyiv, antes de desistirem dessa intenção, no final de março, face à resistência ucraniana.

O regime liderado por Alexander Lukashenko é muito dependente quer do ponto de vista económico quer militar da Rússia.

Na última semana, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin anunciou que Moscovo iria entregar nos “próximos meses” à Bielorrússia mísseis Iskander-M, capazes de carregar ogivas nucleares.

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro e a ofensiva militar já matou mais de quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e a imposição à Rússia de sanções que atingem praticamente todos os setores, da banca ao desporto.

Recomendadas

Ucrânia. Preço do gás com novo máximo devido a paragem anunciada no Nord Stream

O preço do gás europeu continuou hoje a aumentar atingindo um novo recorde no encerramento, depois de ter sido anunciado que o fornecimento de gás através do gasoduto Nord Stream será interrompido durante três dias.

França nega “obstáculo” às exportações russas e vê “instrumentalização”

A presidência francesa defendeu hoje que não existe “obstáculo” às exportações de produtos agrícolas russos, considerando as críticas nesse sentido do chefe de Estado da Rússia, Vladimir Putin, uma tentativa de “instrumentalização política”.

EUA propõem Zelensky na cimeira do G20 se Putin também participar

Os EUA propuseram que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, também participe na cimeira dos líderes do G20 se o seu homólogo russo, Vladimir Putin, aceitar o convite da Indonésia e comparecer na reunião, marcada para novembro em Bali.
Comentários