Lula da Silva almoça com empresários brasileiros em restaurante de Lisboa

O Presidente eleito do Brasil, Luís Inácio Lula da Silva, almoçou hoje com empresários brasileiros em Portugal num restaurante da capital lisboeta, tendo sido recebido por apoiantes à porta do estabelecimento.

Lula da Silva chegou ao aeroporto militar de Figo Maduro depois do meio-dia e saiu, numa comitiva oficial, às 12:40 para o almoço. Depois seguiu para o hotel de onde deverá sair para o Palácio de Belém, onde será recebido pelo Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, às 17:00.

Mais tarde, às 20:00, Lula da Silva será recebido pelo primeiro-ministro português e líder do PS, António Costa, que lhe declarou apoiou nos últimos dias da campanha eleitoral brasileira.

O Presidente eleito do Brasil visita Portugal no regresso ao seu país, após participar na 27.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP27), no Egito.

Para sábado, está previsto um encontro com apoiantes e líderes da comunidade brasileira em Portugal.

Segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, o facto de Lula da Silva escolher Portugal como primeiro país para uma visita bilateral representa “um sinal muito forte”.

“Acreditamos que ao escolher Portugal como primeiro país para uma visita bilateral depois da sua eleição, ele [Lula da Silva] está a dar um sinal muito forte e aquilo que nós iremos dizer a Lula quando ele cá vier é que do lado português haverá correspondência total em relação a esse sinal forte”, disse o ministro à Lusa.

Luiz Inácio Lula da Silva ganhou as eleições presidenciais de 30 de outubro com 50,9% dos votos, contra 49,1% para o atual Presidente, Jair Bolsonaro, que procurava um novo mandato de quatro anos.

Lula da Silva assumirá novamente a Presidência do Brasil em 01 de janeiro de 2023 para um terceiro mandato, após ter governado o país entre 2003 e 2010.

Recomendadas

“Ameaça russa” leva países nórdico-bálticos a reerguer defesas da Guerra Fria

A “ameaça russa” está a levar os países da região nórdico-báltica a reconstruir infraestruturas de defesa que tinham sido abandonadas com o fim da Guerra Fria, reconhecem analistas.

Antigo PM britânico David Cameron defende que países pobres desenvolvam energias fósseis

O antigo primeiro-ministro britânico David Cameron acusou hoje em Londres de “hipocrisia” a comunidade internacional por estar a pressionar países em desenvolvimento a não investir em combustíveis fósseis devido às alterações climáticas.

Tribunal russo proíbe movimento de protesto Vesná declarando-o extremista

Um tribunal russo declarou hoje como organização extremista o movimento Vesná (‘Primavera’), que organizou protestos em todo o país contra a mobilização parcial para combater na Ucrânia, decretada em setembro passado pelo Presidente Vladimir Putin.
Comentários