Macron acusa Rússia de ter “influência predatória” em África

O presidente francês acusou este domingo a Rússia de ter uma influência “predatória” nalguns países africanos, em declarações aos jornalistas, citadas pela Reuters.

O Presidente francês acusou este domingo a Rússia de alimentar propaganda anti-França em África, com o propósito de exercer a sua “influência predatória” nos países desses continente, nos quais o poder francês tem sofrido um enfraquecimento.

De acordo com a Reuters, dirigindo-se aos críticos que dizem que França explora os seus laços históricos com os países africanos, Emmanuel Macron atirou: “Alguns poderes, que querem alargar a sua influência em África, estão a fazer isto [este tipo de comentários] para prejudicar a França, gerar dúvidas e, acima de tudo, explorar certos interesses”.

Apesar de já não deter colónias, França mantém laços militares com vários países africanos e, por exemplo, durante décadas houve mesmo tropas francesas em Mali, numa operação anti-terrorismo. Os críticos têm descrito, contudo, essa operação como um falhanço e acusam-na de introduzir instabilidade na região.

Este domingo, o Presidente francês aproveitou ainda para dizer que a influência russa no continente em questão é “predatória”.

Recomendadas

Cimeira da NATO: o Ártico é a próxima fronteira

A entrada da Suécia e da Finlândia na NATO, um dos temas centrais da agenda da cimeira da Roménia, transforma o Ártico numa nova zona de conflito potencial. A Rússia lembrou esse perigo, que Jens Stoltenberg conhece bem.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Morreu Jiang Zemin, ex-presidente e um dos construtores da China moderna

Foi um dos obreiros do crescimento económico da China e pretendeu construir um relacionamento estável com os Estados Unidos. Queria uma China a “entrar no mundo”.
Comentários