Macron e Merkel exigem que marinheiros detidos pela Rússia sejam libertados

Moscovo acusou os 24 marinheiros de cruzarem ilegalmente a fronteira russa. A Ucrânia contestou e disse que a Rússia capturou ilegalmente as dois pequenos navios e acusou Moscovo de agressão militar.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente de França, Emmanuel Macron, exigiram esta sexta-feira que a Rússia liberte os marinheiros ucranianos que foram capturados junto com os seus navios no mês passado.

Moscovo acusou os 24 marinheiros de cruzarem ilegalmente a fronteira russa. A Ucrânia contestou e disse que a Rússia capturou ilegalmente as dois pequenos navios e acusou Moscovo de agressão militar.

“Nós exigimos trânsito seguro, livre e desimpedido para todos os navios através do estreito de Kerch e a libertação imediata e incondicional de todos os marítimos ucranianos detidos ilegalmente”, disseram Merkel e Macron num comunicado conjunto, divulgado pela imprensa internacional.

Relacionadas

Presidente da Ucrânia decreta fim da lei marcial no país

O Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, anunciou esta quarta-feira o fim da lei marcial, instaurada em finais de novembro em diversas regiões fronteiriças ucranianas após o confronto marítimo ao largo da península da Crimeia, anexada pela Rússia.

Kremlin afirma que Trump cancelou encontro com Putin devido a problemas internos

Após o cancelamento da reunião do Presidente Donald Trump com o homólogo russo, Vladimir Putin, o Kremlin vem esclarecer que o cancelamento se deve à “situação política interna” nos Estados Unidos.

Ucrânia proíbe a entrada no país a homens russos entre os 16 e os 60 anos

O presidente da Ucrânia anunciou esta sexta-feira que está proibida a entrada no país a russos, do sexo masculino, com idades entre os 16 e os 60 anos para evitar a formação de “exércitos privados”.
Recomendadas

Referendos de adesão à Rússia de territórios ucranianos ocupados terminam hoje

Os parlamentos das autoproclamadas repúblicas populares de Donetsk e Lugansk, reconhecidas pelo Kremlin a 21 de fevereiro passado, convocaram um referendo de integração na Rússia entre 23 e 27 de setembro, ao qual se juntaram as regiões de Kherson e Zaporijia, parcialmente sob domínio russo.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta terça-feira

“Salário mínimo vai perder poder de compra pela primeira vez desde 2013”; “Famílias com prazo-limite para tratar das partilhas de terrenos”; “Seleção procura lugar na final four antes do anúncio dos convocados para o Mundial”

Itália. Encontrar ministros ‘aceitáveis’ pelo Presidente será desafio para Meloni

Vencedor das eleições de domingo à frente de uma coligação de direita e extrema-direita que poderá ter a maioria dos lugares parlamentares, o partido Irmãos de Itália “cresceu, mas a classe dominante permaneceu a mesma do que quando pesava 1%” dos votos, disse à Lusa Francesco Costa, diretor do site de notícias Il Post e especialista em política internacional.
Comentários