PremiumMad.Intax cresce através do estatuto de residente não habitual

As telecomunicações, internet rápida e acessibilidades, são alguns dos motivos que têm trazido estrangeiros para para a Madeira.

Os nómadas digitais e o estatuto do residente não habitual têm sido um catalisador para o crescimento da Mad.Intax.

O sócio-gerente da empresa, Nuno Coelho, refere que estas ferramentas, bem como as áreas que lhes estão associadas já representam cerca de 50% a 60% da atividade equilibrando a balança com as empresas do Centro Internacional de Negócios (CINM), ou zona franca.

“Os países com maior peso são Alemanha, Dinamarca, Bélgica, França, a Áustria. São na sua maioria europeus. Tenho alguns clientes da América do Norte, Estados Unidos e Canadá mas são uma minoria. Verificamos que cada vez mais vêm pessoas da América, Estados Unidos, Canadá. Tem a ver um pouco com a difusão e com a forma como é divulgada a Madeira nas plataformas digitais que os próprios nómadas digitais usam”, diz Nuno Coelho.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor. Edição do Económico Madeira de 2 de setembro.

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Sociopata narcisista”. Uma classificação nada abonatória, mas é assim que é descrita Meghan Markle por ex-funcionários do Palácio de Buckingham que trabalharam para os duques de Sussex, segundo o que é revelado no novo livro de Valentine Low, que escreve sobre assuntos reais para o “The Times”.
Comentários