Madeira: APAV recebeu 22 queixas de idosos nos últimos dois anos

A violência contra as pessoas idosas é cometida na maioria das vezes por familiares ou pessoas próximas das vítimas, onde se incluem os cuidadores.

Entre 2020 e 2021 a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) identificou, na Madeira, “22 vítimas com idade superior a 65 anos”. Os dados foram revelados pelo presidente da APAV na Comissão Especializada Permanente de Saúde e Assuntos Sociais, onde João Lázaro prestou esclarecimentos, numa audição pedida pelo PS, sobre a violência contra os idosos na Região.

Tratam-se, na opinião deste especialista, de números representativos de “um fenómeno de subnotificação”, clarificando que de acordo com a Organização Mundial de Saúde cerca de “80% dos casos de violência não chegam a ser reportados”.

A violência contra as pessoas idosas é cometida na maioria das vezes por familiares ou pessoas próximas das vítimas, onde se incluem os cuidadores.

“Este fator é determinante na dificuldade acrescida que as pessoas idosas, vítimas de crime ou violência, têm em reportar a situação às autoridades ou mesmo em recorrer a serviços de apoio”, explicou João Lázaro aos deputados madeirenses. Quando o agressor é familiar “as vítimas apresentam maiores níveis de vergonha e de reconhecer que estão a ser ou foram vitimizadas por alguém que elas próprias criaram”.

As vítimas identificadas na Madeira são oriundas de todos os concelhos, não adiantando, o presidente da APAV, quais as localidades com mais casos reportados.

A Comissão de Saúde e Assuntos Sociais já ouviu sobre esta matéria o Comandante da Polícia de Segurança Pública na Madeira e a Presidente do Instituto de Segurança Social da Madeira.

Recomendadas

Assembleia da Madeira atribui Prémio +Valor Madeira a trabalhos académicos e científicos

O montante do Prémio é de cinco mil euros, podendo, ainda, haver lugar à atribuição de certificados a título de menções honrosas.

Governo da Madeira maximiza benefícios no Código Fiscal de Investimento

Rogério Gouveia apontou que, face à retração económica provocada pela crise pandémica, situação agravada pela guerra na Ucrânia, o Governo Regional, de coligação PSD/CDS-PP, considerou ser “fundamental a adoção de medidas de choque para a revitalização da economia”.

Socicorreia lança empresa na área da arquitetura

Com a Socicorreia Project, o proprietário receberá acompanhamento no momento de escolher e comprar mobiliário personalizado, de acordo com as suas exigências e tendências do mercado, na seleção de todos os equipamentos domésticos, e também em pormenores de decoração como a iluminação.
Comentários