Madeira tem 17 milhões de euros para programas de apoio ao emprego

A secretária regional da Inclusão Social e Cidadania diz ser fundamental “continuar a apoiar os trabalhadores, desempregados e empresas a manter trabalho e criar emprego”, depois dos efeitos causados pela pandemia.

O Orçamento Regional da Madeira, para 2021, aloca 17 milhões de euros para programas de apoio ao emprego, o que traduz uma “clara aposta de mais e melhor emprego”, de acordo com Augusta Aguiar, secretária regional da Inclusão Social e Cidadania.

A governante lembrou que a região no primeiro trimestre tinha uma taxa de desemprego de 5,6%, a “mais baixa” do país, que acabou por ser interrompida devido aos efeitos causados pela pandemia. Augusta Aguiar disse ser fundamental continuar a apoiar os “trabalhadores, desempregados e empresas de modo a manter trabalho e criar emprego”, durante a discussão na especialidade do Orçamento Regional da Madeira e do Plano e Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração da Região Autónoma da Madeira (PIDDAR), que decorre esta quinta-feira na Assembleia Legislativa da Madeira.

A governante referiu que os apoios prestados aos desempregos, desde 2015, atingiram os 6,4 milhões de euros, e permitiram criar 647 novos postos de trabalho.

Recomendadas

Madeira: filiais estrangeiras registam aumento de 125% no valor acrescentado bruto

O volume de negócios chegou aos 506,4 milhões de euros, um aumento de 84,1%.

Preço do arrendamento de habitação sofre quebra de 2% na Madeira

O custo ficou em 10,6 euros por metro quadrado.

Produção de energia elétrica aumentou 5% na Madeira

71,5% da produção de energia foi de origem térmica, 15,3% de origem eólica, 9,4% de origem hídrica e 3,8% de origem fotovoltaica. O consumo de energia elétrica aumentou 4,4%.
Comentários