Madeira: Central de Baterias da Vitória concluída em investimento de mais de dez milhões de euros

Esta obra iniciou-se em agosto de 2021 e baseia-se em tecnologia de iões de lítio e eletrónica de potência avançada.

A Central de Baterias da Vitória, na ilha da Madeira, está concluída. O empreendimento, da responsabilidade da Empresa de Eletricidade da Madeira (EEM), representa um investimento superior a dez milhões de euros e vai permitir reduzir a dependência externa no abastecimento de energia elétrica à ilha.

Trata-se de um projeto inovador da EEM, com engenharia e tecnologia de ponta, que visa contribuir para a descarbonização da produção de eletricidade.

Esta nova instalação tem uma potência mínima e capacidade de energia instalada de 15 MW / 16,4 MWh, concretizada no âmbito da empreitada “Instalação e Integração de Sistema de Armazenamento de Energia com Baterias no Sistema Elétrico da ilha da Madeira”, tendo envolvido um investimento global na ordem dos 10,6 milhões de Euros, cofinanciado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO-SEUR/EU), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão, num montante de cerca de 7,8 milhões de Euros.

Esta obra iniciou-se em agosto de 2021 e baseia-se em tecnologia de iões de lítio e eletrónica de potência avançada.

Este projeto tem como objetivo a substituição integral de, pelo menos, um gerador térmico (o maior), o fornecimento de serviços de sistema, que até à data vêm sendo prestados pelos geradores térmicos, destacando-se a regulação de frequência, a regulação de tensão e a substituição de reserva girante e uma resposta imediata (na ordem de centésimos de segundo) em caso de perda repentina de fontes de produção ou do consumo.

Além disso, o projeto prevê também o incremento da integração de energias renováveis (hídrica, fotovoltaica e eólica) na ilha da Madeira (via remoção de potência térmica e via armazenamento de energia renovável excedentária), a melhoria da eficiência do parque termoelétrico, através da suavização da intermitência das fontes de energia renováveis e do funcionamento em gamas de potência com maior rendimento e a redução dos custos de exploração do sistema termoelétrico, através da redução substancial do consumo de combustíveis de origem fóssil e da redução dos custos de manutenção dos geradores térmicos, e a redução do tempo de energização do sistema elétrico da ilha da Madeira (blackstart pela bateria), após incidentes de elevado impacte.

A EEM espera que com a concretização destes objetivos, será assim possível reduzir a dependência externa no abastecimento de energia elétrica à ilha, reduzir as emissões de gases prejudiciais para a atmosfera e melhorar a resiliência e a fiabilidade do sistema elétrico da ilha da Madeira.

Recomendadas

Presidente da Assembleia Regional defende medidas que criem emprego e atraiam investimento para o norte da Madeira

O presidente da Assembleia Regional salientou a importância de existir um programa de coesão territorial para a região, que reúna várias entidades, e valorize os recursos associados ao ambiente, agricultura, e turismo.

Comprar casa na Madeira sofreu subida de 23%

Foi em Santana que se registou o maior aumento com 7,5%, seguido por Calheta 3% e São Vicente 2,9%.

ISAL reúne 15 instituições de ensino superior europeias para ‘Erasmus+ Staff Training Week’

Serão discutidos temas como as boas práticas de gestão e comunicação organizacional; a modernização e a digitalização no ensino superior; as novas ferramentas de gestão do Erasmus+.
Comentários