Madeira deve mais 4545 euros do que média nacional no crédito habitação

A Madeira devia, em novembro, 57 mil 971 euros no crédito habitação.

A Madeira possui 57 mil 971 euros de capital em dívida no crédito habitação, em novembro, o que representa mais 4545 euros, face aos 53 mil 426 euros da média nacional, diz os dados da Direcção Regional de Estatística (DREM).

Em comparação com o mês anterior verifica-se uma subida de 132 euros. Contudo no período homólogo a região deve menos 228 euros.

No que diz respeito ao crédito habitação, e em comparação com o território nacional, verifica-se que a Madeira tem uma taxa de juro de 0,967% que é mais baixa face aos 1,017% em termos nacional.

Contudo a prestação total que na Madeira é de 271 euros é mais alta do que a média nacional que se fixa em 246 euros.

No capital amortizado a região volta a ter um valor superior, que fica em 224 euros face aos 201 euros no território continental.

Os juros totais na Madeira são de 47 euros e no Continente são 45 euros.

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/avaliacao-bancaria/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”880″ slug=”avaliacao-bancaria” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/avaliacao-bancaria/thumbnail?version=1572437825434&locale=pt-PT&publisher=www.jornaleconomico.pt” mce-placeholder=”1″]

Recomendadas

O excesso de peso da mochila pode ser prejudicial à saúde do seu filho

É importante redobrar os cuidados e repensar nos materiais a levar para a escola, já que a mochila com peso tem um forte impacto na postura da criança.

Madeira: ACIF participa na quinta reunião transnacional do projeto BLUE-TEC

O projeto visa promover o crescimento inteligente do turismo náutico e costeiro da Macaronésia.

PSD/Açores disponível para novo modelo de financiamento dos bombeiros

O deputado regional social-democrata Luís Soares considerou necessário “saber como funcionam os mecanismos de acesso aos fundos comunitários, mantendo uma porta direta pelos bombeiros, em vez das candidaturas serem elegíveis somente através das câmaras municipais”.
Comentários