Madeira: IHM aumenta apoio máximo de 15 para 20 mil euros para recuperação de imóveis degradados

Em caso de situações de intempérie, catástrofe, calamidade ou incêndio, devidamente fundamentadas, este apoio poderá chegar aos 50 mil euros.

A Investimentos Habitacionais da Madeira (IHM) atualizou o valor máximo de apoio que é concedido às famílias que precisam de reabilitar ou melhorar as condições das suas habitações de 15 para 20 mil euros, no âmbito do Programa de Recuperação de Imóveis Degradados (PRID).

Em caso de situações de intempérie, catástrofe, calamidade ou incêndio, devidamente fundamentadas, este apoio poderá chegar aos 50 mil euros.

No caso do programa PRAHABITAR (arrendamento) as principais alterações no diploma foram o aumento dos valores máximos das rendas, abrangendo beneficiários com rendimentos a partir do salário mínimo regional, estando previstas majorações, para os casais jovens, pessoas com deficiência, vítimas de violência doméstica, e arrendamentos em concelhos com baixa densidade populacional.

Já no que respeita ao PRAHABITAR (aquisição), a IHM deixará de indicar aos beneficiários os fogos a adquirir, havendo autonomia por parte das famílias em encontrar o imóvel que melhor se adeque às suas necessidades.

Nesta modalidade, a IHM apoiará na compra de habitação própria permanente, havendo também majorações previstas para jovens, famílias que recorram à compra de habitações a custos controlados, bem como agregados que pretendam adquirir um imóvel em concelhos com baixa densidade populacional, apoiando-se assim a fixação de população nessas localidades.

A IHM salienta que estes programas de apoio habitacional destinam-se, não só às famílias carenciadas, mas também à classe trabalhadora e classe média, “sendo objetivo estratégico desta entidade pública a continuidade na aposta em outros programas igualmente alternativos à habitação social”.

Nesse sentido, teve lugar no Centro Comercial Caniço Shopping na passada quinta-feira, dia 28 de julho, uma sessão de esclarecimento sobre o PRAHABITAR e o PRID, dois dos vários programas promovidos pela IHM, alternativos à habitação social, que visam apoiar os agregados familiares no apoio à compra ou arrendamento das suas habitações.

Esta iniciativa foi dirigida à população residente no Caniço e contou com a participação de cerca uma centena de pessoas.

O foco primordial desta sessão foi explicar o funcionamento de cada um destes apoios, e divulgar as alterações recentemente promovidas em ambos os programas, que foram ajustados às necessidades habitacionais das populações, bem como à realidade atual do mercado imobiliário.

Recomendadas

Madeira: Número de acidentes de trabalho diminuiu 24,4% em 2020

O sector da “Construção” concentra o maior número de acidentes, com 24% do total, seguido do sector do “Comércio por grosso e a retalho, reparação de veículos automóveis e motociclos”, com 16,5%.

Câmara do Funchal promove atividades lúdicas para celebrar Dia Internacional da Juventude

As atividades estarão a decorrer próxima sexta-feira à tarde, das 15ho0 às 18h00, no Parque de Santa Catarina. 

IL denuncia falta de resposta da Câmara do Funchal para problema de ruído na Zona Velha

Nuno Morna frisa que há dois meses o partido pediu uma audiência a várias entidades, nomeadamente o Presidente da Câmara do Funchal, Inspeção das Atividades Económicas (ARAE), Comando Regional da PSP Madeira e Provedoria de Justiça, onde pretendia apresentar e clarificar questões sobre a situação do ruído da Zona Velha.
Comentários