Madeira: Iniciativa Liberal pede maior “esmero e atenção” na proteção da floresta

O partido alerta ao Governo Regional que “construir coisas que não funcionam é ridículo. Construir e deixar ao abandono é deitar dinheiro fora e, no caso em apreço, é manter o risco e a incapacidade de, rapidamente, controlar o inevitável”.

Estabeleça “metas verdes” para 2019

A Iniciativa Liberal Madeira considera que a floresta sendo “um dos nossos maiores bens” deve ser cuidada com “esmero e atenção”, e deixa um alerta ao executivo regional de que tudo o que constrói tem que ter acompanhamento e manutenção.

O partido acrescenta que a mancha florestal “é fator de riqueza e deve ser sempre devidamente protegida” dos perigos que corre, com o fogo à cabeça.

A Iniciativa Liberal recorda que em março, o Governo Regional, fez uma adjudicação, de 4,4 milhões de euros que visava assegurar que as serras sobranceiras ao Funchal são equipadas, entre outras coisas, com um sistema de rede de incêndios e de reservatórios de água, lançando um alerta ao executivo madeirense de que “estas coisas não só devem ser construídas, como mantidas”.

O partido recorda os vários incêndios que afetaram a Madeira, em 2010, 2012, 2016, bem como os vários anúncios que previam a construção de rede de combate a incêndios com instalações de bocas e reservatórios, de investimento na prevenção e combate aos fogos, bem como de outras medidas que visavam prevenir os incêndios.

“Depois de anos e anos a ouvir inúmeras vozes que reclamavam meios aéreos de combate aos fogos, que o Governo Regional recusava escudado num estudo que nunca ninguém viu, finalmente chega um helicóptero para ajudar no combate aos fogos. “Casa roubada, trancas na porta”, diz o povo e é um provérbio que os sucessivos Governos do PSD teimam em seguir à risca”, refere o partido.

A Iniciativa Liberal refere que ao longo dos anos várias coisas foram feitas. “Colocaram-se bocas de incêndio que, ou não deitam água, ou a que sai é insuficiente; construíram-se uns depósitos em folha(!) – uns foram roubados e a folha deve ter tido outro uso, outros estão completamente destruídos, alguns viram nascer no seu interior, verdadeiros mini-ecossistemas e encontrámos um funcional e com água”, acrescentou o partido.

O partido sublinha que é preciso deixar a “pompa e circunstância” e ser “exigente”, acrescentando que o executivo regional “tem de entender o que tem uma enorme dificuldade em perceber”, sublinhando que “tudo o que constrói tem de ter acompanhamento e manutenção.

A Iniciativa Liberal reforça que “construir coisas que não funcionam é ridículo. Construir e deixar ao abandono é deitar dinheiro fora e, no caso em apreço, é manter o risco e a incapacidade de, rapidamente, controlar o inevitável”, sublinhando que o “dinheiro mal gasto pelo Governo é dos contribuintes, não sai do bolso do Governo Regional, que nada produz”.

Recomendadas

Ponteditora anuncia lançamento de duas novas publicações científicas

Os lançamentos serão feitos no segundo trimestre de 2022 e 2023.

PS Madeira quer “estudo científico rigoroso” sobre manuais digitais nas escolas

“Não basta entregar um manual digital – um tablet – aos alunos para dizer que se está a transformar a escola. É preciso muito mais”, disse este sábado, 13 de agosto, o líder da bancada socialista, Rui Caetano, numa iniciativa partidária junto à Escola Secundária Jaime Moniz, no Funchal.

PremiumFundir música comercial com o mundo alternativo

Carlo Rodrigues criou o projeto Krod porque queria algo próprio, independente. Mas, sem o vocalista Lee Jones, Krod não seria Krod. No dia 13 de agosto, a banda embarca para o cobiçado festival ‘Concertos L’, na Estalagem da Ponta do Sol.
Comentários