Madeira: JPP insiste que produtores de cana-de-açúcar deverão receber mais dez cêntimos por quilo

O JPP já havia apresentado um diploma no sentido de aumentar o preço mínimo a pagar ao produtor regional de cana-de-açúcar, proposta que foi chumbada pela maioria parlamentar.

O deputado do Juntos pelo Povo (JPP), Rafael Nunes, insistiu, esta quinta-feira, na Assembleia Legislativa da Madeira, que os produtores de cana-de-açúcar da Região deverão receber mais dez cêntimos por quilo.

O vice-presidente do grupo parlamentar abordou o tema na sequência das declarações proferidas pelo Secretário Regional da Agricultura, numa entrevista dada à RTP Madeira, onde referiu que o Governo Regional iria apoiar os produtores de cana com um aumento de dois cêntimos por quilo vendido.

Para o parlamentar as declarações não passam de “política barata” pois, “ou Humberto Vasconcelos não sabe ou Humberto Vasconcelos não quer que os produtores de cana saibam que o Governo Regional não dá qualquer tipo de apoio direto”, tendo esclarecido que “estes 32 cêntimos que serão pagos aos agricultores resultam apenas de fundos comunitários e do pagamento dos engenhos do sector privado”.

Para o JPP, esta é mais uma situação que prova a “impreparação na tutela da agricultura que promoveu uma confusão deliberada nos agricultores, principalmente os que trabalham na cana-de-açúcar”, referiu.

“Vimos um Secretário Regional a propagandear que o Governo iria apoiar com dois cêntimos a compra de cana de açúcar, mas, de forma premeditada, não referiu que esses dois cêntimos não são apoio do orçamento da Região, mas sim, fundos do Programa de Opções Específicas para fazer face ao Afastamento e à Insularidade (POSEI), fundos estes que são comunitários”, aponta.

E reforça: “por muito que o Secretário Regional tente confundir a população a verdade está plasmada ‘preto no branc’» e está na própria regulamentação oficial, no Jornal Oficial da Região Autónoma da Madeira que diz que não existe qualquer tipo de apoio do Governo, zero cêntimos de apoio”.

Para o JPP é “urgente inverter esta situação, e são os próprios produtores de cana-de-açúcar que nos dizem que não serão estes dois cêntimos previstos de apoio comunitário que irão permitir que os agricultores combatam os custos da inflação, os aumentos que se sentem nos custos de produção”, salientou.

Rafael Nunes salienta que o partido não desiste e que vai propor na Assembleia Legislativa, uma vez mais, que seja criado um apoio extraordinário de dez cêntimos, pagos do Governo Regional, na compra de cada quilo de cana-de-açúcar ao produtor regional. Desta forma, “aquele que verdadeiramente trabalha a terra pode vir a receber entre 42 a 45 cêntimos, dependendo, também, das negociações dos engenhos”, referiu.

O JPP já havia apresentado um diploma no sentido de aumentar o preço mínimo a pagar ao produtor regional de cana-de-açúcar, proposta que foi chumbada pela maioria parlamentar.

Recomendadas

PremiumMadeira: Denúncias de alegadas más práticas na maternidade não chegaram à Ordem

Ordem dos Médicos da Região decidiu não se pronunciar sobre o assunto e o SESARAM optou por não responder. Por sua vez, a Ordem dos Enfermeiros diz não ter recebido queixas.

Governo da Madeira aumenta subsídio de mobilidade para os residentes do Porto Santo

Os preços do transporte marítimo aumentaram, pelo que  Governo Regional revê, agora, o valor do subsídio a atribuir, de modo a absorver esse aumento tarifário, que será de 7,03% para a carga e 7,04% para os passageiros.

PremiumSilêncio depois do terramoto provocado por Sérgio Marques

As declarações de Sérgio Marques levaram à renúncia do mandato como deputado na Assembleia da República. Grupos económicos têm desvalorizado afirmações do social democrata.
Comentários