Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos da Região cresceu cerca de 40% face a 2019

No aeroporto da Madeira, e no mês em análise, o tráfego de passageiros distribuiu-se equitativamente entre o tráfego doméstico (47,4% do total) e o tráfego internacional (52,6%).

Em outubro, registou-se, nos aeroportos da RAM, um movimento de 391,6 mil passageiros, transportados em 2.821 aeronaves (voos comerciais), traduzindo variações homólogas de 35,8% e 29,9%, respetivamente. Quando comparado com outubro de 2019 (período pré-pandemia), verificaram-se também crescimentos, de 39,8% no movimento de passageiros e de 31,6% no movimento das aeronaves. Em termos acumulados (janeiro a outubro), as variações homólogas nos movimentos de aeronaves e passageiros foram de 74% e 116,3%, respetivamente (mais 15,3% e mais 19,2% face ao mesmo período de 2019).

Os dados são da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM) e dizem ainda que no mês em referência, cada aeronave (considerando-se conjuntamente as que aterraram e descolaram) transportou, em média, cerca de 144 passageiros (139 em outubro de 2021), no aeroporto da Madeira, enquanto no do Porto Santo aquele valor não ultrapassou os 83 passageiros (68 no mês homólogo).

Em outubro de 2022, o movimento de passageiros doméstico e internacional nos aeroportos da RAM registou variações homólogas positivas, com o tráfego doméstico a crescer mais (mais 36%) que o internacional (mais 35,6%). Face ao mesmo mês do ano antes da pandemia (2019), o tráfego doméstico cresceu 44,4% e o internacional 35,6%.

No aeroporto da Madeira, e no mês em análise, o tráfego de passageiros distribuiu-se equitativamente entre o tráfego doméstico (47,4% do total) e o tráfego internacional (52,6%), uma tendência que se tem verificado desde julho de 2021, relacionada com o restabelecimento da procura de voos internacionais.

No Aeroporto do Porto Santo há uma predominância significativa do tráfego doméstico, que concentrou quase três quartos do tráfego total (74,9% do total).

No mês de referência, os voos regulares nos aeroportos da RAM representaram 92,2% do total de aeronaves movimentadas e 93,6% dos passageiros (90,3% e 92,1% no período homólogo, respetivamente).

Em outubro de 2022, a ocupação das aeronaves movimentadas nos aeroportos da RAM rondou os 82,3%, com o aeroporto da Madeira a atingir os 82,9% e do Porto Santo os 73%. No mesmo mês do ano passado, a taxa de ocupação era ligeiramente inferior no conjunto dos aeroportos (81,5%) e no da Madeira (82,6%), com o do Porto Santo a observar uma taxa de ocupação bastante mais baixa (64,4%).

Nos primeiros dez meses de 2022, os passageiros embarcados e desembarcados nos aeroportos da RAM ascenderam a 3,4 milhões, uma metade correspondente ao tráfego exclusivamente entre aeroportos localizados em território nacional, que inclui as ligações interiores e domésticas (49,7% do total no seu conjunto) e outra ao internacional (50,3%) No âmbito deste último, o Reino Unido foi o principal país de origem e de destino dos voos internacionais dos aeroportos da RAM (36,2%), seguido da Alemanha (22,7%) e da França (8,3%).

No verão IATA (International Air Transport Association), de 27 de março a 29 de outubro de 2022, o aeroporto da Madeira operacionalizou voos comerciais de 28 companhias aéreas, com 60 rotas para 54 destinos. No aeroporto do Porto Santo realizaram-se voos comerciais de nove companhias aéreas, com oito rotas, para oito destinos.

Recomendadas

Madeira: PCP reclama desenvolvimento e justiça social para zonas altas

Herlanda Amado referiu que não tem existido um verdadeiro investimento para garantir a qualidade de vida e segurança de quem vive nestas localidades, salientando que os problemas sociais têm-se agravado.

Madeira: Retribuição mínima mensal de 785 euros aprovada na especialidade

O diploma que fixa a retribuição mínima mensal, na Madeira, em 785 euros segue para votação final global. Em breve entrará em vigor na Região.

Madeira: Comissão de inquérito ao favorecimento de grupos económicos e ‘obras inventadas’ tomou hoje posse

Os membros da comissão têm até ao dia 7 de fevereiro para apresentar as propostas de metodologia de trabalho. A primeira reunião foi agendada para o dia 9 de fevereiro, e visa analisar as sugestões dos diferentes partidos na condução dos trabalhos desta comissão que vai investigar o alegado “favorecimento a grupos económicos e ‘obras inventadas’”.
Comentários