Madeira: Orçamento de 61,5 milhões de euros para Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas tem 60% destinado a investimento na água

No que diz respeito ao investimento no combate às alterações climáticas, Susana Prada realça a construção de uma central de biomassa, que constitui “um investimento na economia circular e na produção de energia renovável”, que totaliza 4,2 milhões de euros.

A Secretaria Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas vai ter um orçamento de 61,5 milhões de euros para 2022, dos quais 60% destinam-se a investimentos na água.

“Preparar a Região para as menores disponibilidades hídricas futuras, apostar na captação das águas desaproveitadas, no armazenamento, na distribuição eficiente e na qualidade do ambiente determinam as principais ações” do investimento que vai ser feito durante o próximo ano relativamente à água, referiu a Secretária Regional do Ambiente, Recursos Naturais e Alterações Climáticas, Susana Prada.

Susana Prada destacou, durante a discussão do Orçamento Regional para 2022, na Assembleia Legislativa da Madeira, que este orçamento destina mais dois milhões de euros para esta Secretaria face a 2021.

A Secretária salientou que vai ser aplicada a tarifa social para a população mais carenciada aos municípios aderentes à Águas e Resíduos da Madeira (ARM) e que o Governo Regional vai continuar a assumir 84% do custo da água de rega, beneficiando cerca de 40 mil agricultores.

Ainda sobre os investimentos na água, o Orçamento desta Secretaria contempla quatro milhões de euros para captação das águas desaproveitadas e 12,4 milhões para garantir o transporte eficiente da água, no âmbito da renovação de vários quilómetros de condutas de abastecimento e de canais de rega.

Para reforçar a capacidade de armazenamento vão ser investidos 4,3 milhões de euros e o prolongamento do emissário da Tabua, a intervenção nas redes de saneamento e a reformulação de estações elevatórias de águas residuais vão totalizar um investimento de 4,8 milhões.

Susana Prada destaca investimento na construção de uma central de biomassa para combate às alterações climáticas

No que diz respeito ao investimento no combate às alterações climáticas, Susana Prada realça a construção de uma central de biomassa, que constitui “um investimento na economia circular e na produção de energia renovável”, que totaliza 4,2 milhões de euros.

“O Instituto das Florestas e Conservação da Natureza dirige o investimento estratégico de cerca de sete milhões, para as florestas, conservação de espécies e habitats e para a manutenção de percursos pedestres e áreas de lazer em área florestal”, vincou.

Há ainda 3,4 milhões de euros para “limpeza da floresta e adequada reflorestação como medidas de prevenção de incêndios e de sequestro de carbono”, salientou a Secretária.

Por fim, Susana Prada sublinhou o investimento de 1,5 milhões de euros na gestão da faixa litoral das ilhas da Madeira e do Porto Santo, considerando que “a subida do nível do mar é particularmente preocupante em território insular”, e frisou que a continuação do restauro do cordão dunar do Porto Santo vai incluir uma operação de recarga de areia no próximo verão.

Recomendadas

Hoje é celebrado o Dia Internacional da Consciencialização sobre Perdas e Desperdício Alimentar

Na Europa, todos os anos, cerca de 89 milhões de toneladas de alimentos são deitados ao lixo. Em Portugal, estima-se que cada português desperdice cerca de 134 kg de alimentos por ano. Enquanto isto 1/6 da população mundial passa fome.

Madeira: Serviço Regional de Saúde visita Unidade de Ação Social do Hospital Garcia da Orta

A Unidade de Ação Social do SESARAM observou e conheceu a dinâmica e a metodologia de trabalho implementada na UHD do hospital e, em particular, a área de intervenção social.

Madeira: Acordos de gestão entre a Segurança Social e as IPSS vão passar para 20 anos

Neste sentido, com a presente alteração pretende-se adequar a duração dos acordos de gestão que envolvam a cedência de utilização do edificado em regime de comodato, onde sejam desenvolvidas respostas sociais, numa lógica de melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.
Comentários