Madeira: PCP destaca que crescimento económico na Madeira não se reflete no combate ao empobrecimento

Ricardo Lume falava durante o Debate Mensal, dedicado ao tema da Economia na Região, que conta com a presença do Presidente do Governo Regional e de alguns membros do Executivo.

Créditos: Élvio Fernandes

O deputado único do PCP na Assembleia Legislativa da Madeira, Ricardo Lume, destacou,  esta terça-feira, que o crescimento económico na Região não se está a refletir no combate ao empobrecimento e em garantir que, pelo menos, as famílias não perdem rendimentos e poder de compra.

Ricardo Lume falava durante o Debate Mensal, dedicado ao tema da Economia na Região, que conta com a presença do Presidente do Governo Regional e de alguns membros do Executivo.

O comunista frisou que Miguel Albuquerque dividiu a Madeira em ‘Madeira Resort’ e ‘Madeira Gueto’ e apenas falou da ‘Madeira Resort’, esquecendo as dificuldades que muitas famílias atravessam com o aumento dos preços.

“O crescimento económico não está a chegar à maioria das famílias e dos trabalhadores e está a fazer com que famílias que nunca tinham experimentado privações, hoje estejam nessa situação”, apontou.

Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos ficaram a mais de 30% acima dos valores de 2019

Entre janeiro e setembro de 2022, o movimento de passageiros nos aeroportos da RAM foi de aproximadamente 3.062,5 mil, significando um acréscimo homólogo de 134% e de 17% face aos valores registados nos primeiros nove meses de 2019. 

Madeira com défice de oito milhões de euros

À semelhança do ano anterior, mais de metade da despesa (51,9% da despesa total) foi canalizada para a área social, onde se destaca o sector da Saúde com uma execução orçamental de 280,3 milhões de euros e a Educação com 296,5 milhões de euros.

Governo Regional da Madeira investe mais de 80 milhões de euros em medicamentos

O envelhecimento demográfico, as doenças crónicas e a introdução de novos medicamentos aumentam as necessidades em saúde, a que o Serviço Regional de Saúde procura responder, sendo que existem doentes que exigem investimentos entre 20 mil a 500 mil euros.
Comentários