Madeira: PCP diz que Orçamento Regional para 2022 é limitado para dar resposta aos problemas da população

Depois de ter apresentado mais de 167 propostas de alteração em sede de especialidade, Ricardo Lume destaca que “este orçamento é para beneficiar os mesmos do costume e as grandes empresas da Região Autónoma da Madeira”.

Créditos: Élvio Fernandes

O deputado do PCP Ricardo Lume disse, esta quinta-feira, 16 de dezembro, que o Orçamento Regional para 2022 é limitado para dar resposta aos problemas da população.

Depois de ter apresentado mais de 167 propostas de alteração em sede de especialidade, Ricardo Lume destaca que “este orçamento é para beneficiar os mesmos do costume e as grandes empresas da Região Autónoma da Madeira”.

“Verificamos reduções orçamentais em áreas como a Saúde, proteção social, habitação e infraestruturas coletivas e verificamos que o serviço da dívida, as Parcerias público-privadas rodoviárias e as sociedades de desenvolvimento são um servidor de dinheiro público, que representa mais de 33% do orçamento, ou seja, mais de 709 milhões de euros”, frisa.

Ricardo Lume realça ainda que existem “opções erradas” na parte da despesa e que oPCP apresentou propostas para que a Região tivesse mais receita, nomeadamente que se volte a cobrar a taxa máxima de derrama, o que permitiria arrecadar mais três milhões de euros.

Recomendadas

Madeira: Marta Freitas volta a representar PS no Conselho Consultivo sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Marta Freitas, que já havia assumido esta posição no mandato anterior, foi agora reconduzida pelo Grupo Parlamentar Socialista, tendo tomado posse esta segunda-feira.

Saiba em que consiste a etiqueta energética e a sua importância na compra de equipamentos elétricos

A nova etiqueta energética já é uma realidade no nosso mercado. Os consumidores precisam de conhecer esta ferramenta, útil e intuitiva, para escolher os seus eletrodomésticos de forma esclarecida e eficiente.

Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira celebra novo protocolo com a Escola Nacional de Bombeiros

O protocolo é válido por tempo indeterminado, permitindo ainda o intercâmbio entre formandos e formadores do SRPC e da ENB, em várias áreas formativas.
Comentários