Madeira pede alteração da lei das finanças locais para receber totalidade dos impostos da região

A Madeira considera inadmissível a ingerência do Governo da República nos orçamentos da região.

A Madeira pediu uma alteração à lei das finanças locais de modo a receber na totalidades os impostos da região, de acordo com uma resolução publicada em Diário da República.

Em causa estão por exemplo rubricas como os “5% do imposto do IRS e os 7,5% do imposto do IVA” cobrados na região, numa resolução que refere ainda que as Regiões Autónomas “exercem o poder de tutela sobre as autarquias locais e a sua demarcação territorial constitui matéria de interesse específico das mesmas”.

A Madeira considera que a região tem “sido preterida de receita” por parte do Estado, em rubricas como como se o financiamento de competências adicionais que o Governo da República transferiu para os municípios, “retirando-lhes receita do IVA”, e como “acontece com a questão da transferência da participação variável do IRS”.

A mesma resolução considera esta “ingerência do Governo da República nos Orçamentos da Região” como sendo inadmissível e que a introdução desta norma permite eliminar “essa abusiva possibilidade por parte do Governo da República”.

Recomendadas

Madeira: ACIF participa na quinta reunião transnacional do projeto BLUE-TEC

O projeto visa promover o crescimento inteligente do turismo náutico e costeiro da Macaronésia.

PSD/Açores disponível para novo modelo de financiamento dos bombeiros

O deputado regional social-democrata Luís Soares considerou necessário “saber como funcionam os mecanismos de acesso aos fundos comunitários, mantendo uma porta direta pelos bombeiros, em vez das candidaturas serem elegíveis somente através das câmaras municipais”.

Madeira: Vacinação contra a Covid-19 passa a ser sazonal e decorre em simultâneo com a vacinação contra a gripe

Estas duas vacinas sazonais, contra a gripe e contra a Covid-19, podem ser administradas no mesmo momento, “sendo consensual que a vacinação é segura e igualmente eficaz”, indica a  Direção Regional de Saúde.
Comentários