Madeira: PS critica falta de apoio do Governo Regional à área das tecnologias

“Foram 561 milhões de euros de subvenções atribuídas à Região Autónoma da Madeira – 5% do total do PRR nacional – e o Governo Regional optou por alocar tudo a investimento público”, vincou.

O presidente do PS-Madeira denunciou, esta quarta-feira, que não tem havido da parte do Governo Regional uma efetiva política de apoio às empresas na área das tecnologias.

Sérgio Gonçalves falava esta manhã, aquando de uma visita à ‘Asseco’, uma empresa de referência a nível regional e nacional na área das tecnologias, sector que classificou de muito importante para a diversificação da economia e para a criação de mais empregos e melhor remunerados.

“Esta empresa é um desses exemplos, mas, infelizmente, da parte do Governo Regional não tem existido uma política de apoio efetivo à área das tecnologias”, constatou o líder dos socialistas madeirenses, dando conta que isso é facilmente comprovável com o facto de o Executivo ter alocado todas as verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para o sector público.

“Foram 561 milhões de euros de subvenções atribuídas à Região Autónoma da Madeira – 5% do total do PRR nacional – e o Governo Regional optou por alocar tudo a investimento público”, vincou.

Do mesmo modo, Sérgio Gonçalves lamentou que os 114 milhões de euros para a transição digital se destinem apenas à transição digital da administração pública. “Não houve verbas para apoiar as empresas, quer aquelas que já existem e que têm alguma dimensão, como esta que hoje visitamos, mas também ‘start up’, empresas mais pequenas e novos projetos inovadores que poderiam surgir na Região”, afirmou.

Nesta iniciativa, inserida no âmbito do roteiro ‘Compromissos e Soluções’, promovido pelo Grupo Parlamentar do PS, o presidente dos socialistas referiu-se também ao sistema de incentivos ‘Digital Madeira’, criado este ano, que teve uma dotação orçamental de apenas quatro milhões de euros.

“Portanto, foram 114 milhões de euros para  administração pública regional e apenas quatro milhões para o tecido empresarial, que nós sabemos que é fundamental para criar emprego, para criar oportunidades e para reter muitos dos jovens que, infelizmente, continuam a sair da Madeira por falta dessas mesmas oportunidades, de terem condições para aqui se fixarem, fazerem a sua vida, constituírem família e, assim, resolver muitos dos problemas estruturais que a Região tem, um dos quais a questão demográfica”, rematou.

Recomendadas

Proteção Civil dos Açores pede à população que fique em casa devido ao mau tempo

Todas as ilhas dos Açores possuem vários avisos, alguns deles laranja, correspondentes a situações meteorológicas “de risco moderado a elevado”. No grupo ocidental o aviso é laranja mas está perto do vermelho, alerta a Proteção Civil.

PS acusa Lopes da Fonseca de mentir sobre construção de novas residências universitárias na Madeira

Rui Caetano salienta que a nova residência universitária garantida para o Funchal representa um investimento de 6,5 milhões de euros e irá disponibilizar 200 camas para estudantes universitários.

Eutanásia. Presidente da Assembleia da Madeira alega que Região não foi ouvida e pede veto

O presidente do parlamento da Madeira apelou hoje ao Presidente da República que não promulgue o diploma da despenalização da morte medicamente assistida, considerando que está ferido de inconstitucionalidade por falta de audição das Regiões Autónomas.
Comentários