Madeira quer apostar no mercado do oriente para captar residentes estrangeiros de alto rendimento

A região quer explorar o mercado do oriente, no sector do imobiliário. O presidente do executivo regional diz que este “é um mercado com grande potencial e com grande poder de compra”.

A Madeira quer captar residentes estrangeiros de alto rendimento no sector imobiliário. O presidente do executivo regional, Miguel Albuquerque, acrescenta que a região quer explorar o mercado do oriente.

“O nosso grande objetivo é continuar a trazer residentes estrangeiros de alto rendimento para a Madeira, isso significa um efeito multiplicador no emprego, significa que a Madeira vai-se transformar cada vez mais numa região cosmopolita, mais aberta ao mundo, com residentes com poder de compra que vão movimentar toda a economia e todos os sectores e freguesias”, declarou Miguel Albuquerque.

O presidente do Governo Regional (PSD/CDS-PP) falava na inauguração das novas instalações da PrediClub, uma empresa do sector imobiliário, no Funchal.

“Queremos tentar o mercado do Oriente, que é um mercado com grande potencial e com grande poder de compra”, disse Miguel Albuquerque, sem especificar países em concreto e sem indicar qual a estratégia que será desenvolvida.

O chefe do executivo insular sublinhou que, apesar da aposta em residentes estrangeiros de alto rendimento, o Governo Regional não vai descurar os “investimentos fundamentais” em habitação para garantir o acesso das famílias madeirenses e dos casais jovens a “casas com qualidade” e a “preços condignos”.

Miguel Albuquerque destacou, neste âmbito, o programa de habitação a custos controlados e os estímulos à reativação das cooperativas habitacionais.

“Não há nenhuma incompatibilidade entre o imobiliário, a atração de residentes estrangeiros e aquilo que é necessário para as famílias da Madeira”, afirmou.

O presidente do Governo insular disse ainda que o sector no imobiliário não foi afetado pela crise pandémica e está em “franco crescimento” há três anos na região, com volumes de negócios “bastante substanciais”.

“Cada vez mais a Madeira é procurada por residentes estrangeiros e cada vez mais as pessoas chegam à conclusão de que a Madeira oferece todas as condições de segurança, de qualidade de vida, de modernidade para cá viverem e isso é importante, sobretudo para a nossa economia”, disse.

Ainda segundo Miguel Albuquerque, a expansão estão a verificar-se “em toda a ilha, não só no Funchal, mas também na zona oeste e na zona norte”.

“É muito importante, sobretudo para alguns dos concelhos que estão com algum declínio demográfico, haver este incremento”, reforçou.

Recomendadas

Câmara do Funchal organiza sessões de informação para investidores das Comunidades Madeirenses

Pedro Calado comprometeu-se também a manter a proximidade e ligação com as Comunidades Madeirenses, garantindo que durante o mandato iria visitar algumas delas com o intuito de manter a proximidade e a ligação com a emigração.

Madeira: Santo António abre candidaturas para apoio à aquisição de material escolar

Os alunos com o primeiro escalão da ASE receberão 25 euros, os alunos com o segundo escalão  terão direito a 30 euros, com o terceiro escalão receberão 35 euros e aos beneficiários do quarto e quinto escalão será atribuído um o montante de 40 euros.

Empréstimos às famílias da Madeira diminuem em 62,1 milhões de euros

No segundo trimestre de 2022, 72,7% dos empréstimos foram destinados ao segmento da habitação, e os restantes 27,3% a consumo e outros fins.
Comentários