Madeira: “Queremos ser Governo na Região porque podemos governar melhor”, diz Sérgio Gonçalves

Sérgio Gonçalves sublinhou, ao fim de mais de quatro décadas de governação social-democrata, a Madeira estar na cauda do País, com a maior taxa de risco de pobreza e exclusão social e o mais baixo poder de compra e “com dificuldades estruturais, sem que o PSD tenha sido capaz de resolver estes problemas”.

Sérgio Gonçalves apontou, no passado sábado, o objetivo de levar o Partido Socialista à vitória nas eleições legislativas regionais do próximo ano, visando a construção de uma ‘Madeira Melhor’.

O líder socialista, que marcou presença na primeira reunião da nova Comissão Política Concelhia de Machico, na qual foram eleitos a Mesa da Comissão Política e o Secretariado concelhio, acusou o PSD de estar agarrado ao passado e de não ter soluções nem ideias novas para a Madeira, ao contrário do PS.

“Nós queremos ser Governo na Região, porque podemos, efetivamente, governar melhor”, afirmou Sérgio Gonçalves.

O presidente dos socialistas madeirenses lembrou o facto de os discursos da festa do Chão da Lagoa do fim de semana anterior terem estado centrados no PS, precisamente porque “nós temos soluções diferentes e podemos construir uma Madeira onde os madeirenses e porto-santenses possam viver melhor do que viveram ao longo das últimas décadas”.

Sérgio Gonçalves sublinhou, ao fim de mais de quatro décadas de governação social-democrata, a Madeira estar na cauda do País, com a maior taxa de risco de pobreza e exclusão social e o mais baixo poder de compra e “com dificuldades estruturais, sem que o PSD tenha sido capaz de resolver estes problemas”. E, acrescentou, agora, com a “bengala do CDS, as coisas não melhoraram, só pioraram”.

O responsável fez também reparos por o PSD e o Governo Regional “se autointitularem donos da Autonomia – quando esta é de todos os madeirenses – mas não a utilizarem”, salientando que a Madeira tem impostos mais altos do que o Continente e os Açores, porque o presidente do Governo Regional se recusa a aplicar o diferencial fiscal de 30% nas taxas do IVA e em todos os escalões do IRS.

“O Governo Regional quer um sistema fiscal próprio de baixa tributação e não faz uso dos instrumentos que tem à sua disposição”, afirmou, destacando esta “contradição permanente”.

Sérgio Gonçalves mostrou, por outro lado, que o PS é um partido com propostas e soluções concretas e exequíveis para melhorar a vida dos madeirenses, sendo a única alternativa de governação credível. O líder socialista evidenciou o exemplo que Machico tem dado ao longo dos últimos anos, com sucessivas vitórias do PS, exprimindo o desejo de que “pudéssemos transportar isto para a realidade regional”.

Recomendadas

Funchal: Coligação Confiança aponta instabilidade no Executivo municipal

Miguel Silva Gouveia destaca que “agora que todos os vereadores com pelouros são do PSD, a realidade é que o CDS, formalmente, abandonou a Câmara do Funchal, abandonou a cidade do Funchal”.

Madeira: Iniciativa Liberal alerta para excesso de embarcações de pesca ao atum

O partido sugere, nesse sentido, que os governantes estudem a possibilidade de abater algumas embarcações, para os armadores que o quiserem fazer.

Remuneração mensal na Administração Regional da Madeira aumentou para 1.560 euros

Quanto às habilitações, no final de 2021, cerca de 58,8% dos trabalhadores da ARM tinham um curso superior, 23,2% o ensino básico e os restantes 18,9% o secundário. A idade média era de 48,7.
Comentários