Madeira: Secretaria da Inclusão Social e Cidadania terá orçamento “rigoroso e realista” com prioridade no emprego

A Secretaria Regional terá um orçamento de 48,8 milhões de euros, com 21 milhões de euros alocados ao emprego.

A Secretária Regional da Inclusão Social e Cidadania, Rita Andrade, considera que o orçamento de 48,8 milhões de euros, para a Secretaria Regional que tutela, é “rigoroso e realista” e procurará focar-se nas pessoas mais vulneráveis, visando promover a “economia social”, melhores condições de trabalho, a redução da pobreza e a redução do desemprego” para poder “esbater assimetrias socioeconómicas”.

A governante admitiu que “não dispomos de recursos infinitos ou sequer ideais”, daí que uma “boa gestão” deste orçamento foi imperativa na sua conceção.

Deste valor global de 48,8 milhões de euros, serão alocados 21 milhões para o emprego, área que Rita Andrade denominou como “a prioridade para 2022″, na medida em que o Governo Regional “irá centrar-se na manutenção e consolidação das políticas de emprego” para poder continuar a mitigar a taxa de desemprego.

Neste âmbito, Rita Andrade mencionou dois novos programas de emprego para 2022, o “Sem Diferenças”, que pretende empregar pessoas com deficiência, e o “Jovem Empreendedor”, que visa apoiar ideias de negócio viáveis junto aos mais jovens.

Recomendadas

O excesso de peso da mochila pode ser prejudicial à saúde do seu filho

É importante redobrar os cuidados e repensar nos materiais a levar para a escola, já que a mochila com peso tem um forte impacto na postura da criança.

Madeira: ACIF participa na quinta reunião transnacional do projeto BLUE-TEC

O projeto visa promover o crescimento inteligente do turismo náutico e costeiro da Macaronésia.

PSD/Açores disponível para novo modelo de financiamento dos bombeiros

O deputado regional social-democrata Luís Soares considerou necessário “saber como funcionam os mecanismos de acesso aos fundos comunitários, mantendo uma porta direta pelos bombeiros, em vez das candidaturas serem elegíveis somente através das câmaras municipais”.
Comentários