Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira celebra novo protocolo com a Escola Nacional de Bombeiros

O protocolo é válido por tempo indeterminado, permitindo ainda o intercâmbio entre formandos e formadores do SRPC e da ENB, em várias áreas formativas.

O Serviço Regional de Proteção Civil (SRPC) da Madeira e a Escola Nacional de Bombeiros (ENB) celebraram um novo protocolo que visa contribuir para o reforço da formação humana, profissional e cultural dos bombeiros e outros agentes de proteção civil.

Durante o decorrer do segundo semestre deste ano, o SRPC, através da Divisão de Formação, tem como objetivo levar a cabo cerca de 36 ações de formação. Tal irá permitir certificar aproximadamente 400 Agentes de Proteção Civil nas diversas áreas de intervenção, nomeadamente, Risco Urbano, Risco Rural, Risco Rodoviário, Proteção Civil, Salvamentos em Grande Ângulo, Matérias Perigosas, Gestão, Telecomunicações e Liderança.

O protocolo irá definir a cooperação e articulação entre as duas instituições, e a partilha de informação científica e pedagógica das áreas formativas doutrinárias será reforçada, com intuito de otimizar recursos humanos e financeiros.

Além disso, o protocolo é válido por tempo indeterminado, permitindo ainda o intercâmbio entre formandos e formadores do SRPC e da ENB, em várias áreas formativas.

 

Recomendadas

Madeira: PTP expressa preocupação com programa de recuperação de cirurgias

O partido defende a alocação de mais recursos para os programas de recuperação de cirurgias, e considera que este deveria ser “eficiente e servir os seus objetivos de recuperação e não contribuir para agravar e desestabilizar o que está funcionando bem na saúde”.

Gasolina e gasóleo descem oito e nove cêntimos na Madeira (com áudio)

A gasolina passa dos 1,729 para os 1,648 euros por litro, e o gasóleo passa dos 1,708 para os 1,613 euros por litro.

Sabia que as dívidas também prescrevem? Saiba mais sobre estes prazos

Relembramos que existem exceções na lei que podem alterar algum destes prazos. Por isso, o melhor será sempre o consumidor contactar primeiramente entidades que o possam ajudar e não deixar arrastar a situação. 
Comentários