Madeira tem 42 milhões de euros para investir em habitação

O Orçamento Regional prevê também uma verba de 2,5 milhões de euros para o fundo de apoio à economia social, e 4,5 milhões de euros serão alocados para o complemento de pensão.

O Governo da Madeira tem disponível uma verba de 42 milhões de euros para investir em habitação, em 2021, mais 53% face ao ano anterior, de modo a dar uma reposta social justa e inclusiva, anunciou Augusta Aguiar, secretária regional da Inclusão Social e Cidadania, durante a discussão na especialidade do Orçamento Regional da Madeira e do Plano e Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração da Região Autónoma da Madeira (PIDDAR), que decorre esta quinta-feira na Assembleia Legislativa da Madeira.

A governante elencou também outro tipo de apoios, que estão contemplados no Orçamento Regional, entre os quais um complemento de pensão (4,5 milhões de euros), cinco milhões de euros para a rede de cuidados continuados

Para os cuidadores informais estará disponível três milhões de euros.

Já no fundo de apoio para a economia social, terá em 2021, um reforço de 640 mil euros, para os 2,5 milhões de euros, disse a governante.

No apoio domiciliários aos idosos, as ajudantes domiciliárias terão disponível um complemento de 500 mil euros. O Orçamento Regional prevê também um aumento do número de camas em lares, e ainda o reforço de meios humanos, através de um verba de seis milhões de euros.

Recomendadas

Madeira: Sociedade Metropolitana de Desenvolvimento disponibiliza máquina ATM Express na Praça CR7

As caixas ATM são especialmente direcionadas para os turistas, sector que têm vindo a atingir valores históricos na Região.

Madeira supera 1,1 milhões de dormidas no alojamento turístico em agosto

As estimativas para as dormidas de agosto de 2022 superam em 67 mil o valor do mês anterior, passando assim a constituir o registo mensal mais alto de sempre observado no alojamento turístico da Região.

Madeira investe 923 mil euros na reabilitação da ER 103 entre o Terreiro da Luta e o Poiso

Pedro Fino explicou que esta obra não foi financiada com fundos europeus, mas que a Região aguarda a abertura do novo quadro comunitário, contando que deverá haver enquadramento para o financiamento da reabilitação desta estrada.
Comentários