Madeira teve mais 123 empresas no primeiro trimestre deste ano

No período em referência, o número de constituições foi superior ao de dissoluções em oito municípios da RAM, sobressaindo o Funchal, com 282 constituições contra 207 dissoluções, Santa Cruz, com 57 contra doze, Câmara de Lobos, que teve 21 contra seis, e São Vicente, com sete contra uma.

A Região Autónoma da Madeira (RAM) apresentou um saldo positivo de 123 sociedades, entre a constituição de 414 empresas e a dissolução de 291, no primeiro trimestre deste ano, referem os dados da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM).

Face ao período homólogo, registaram-se mais 92 constituições e mais 194 dissoluções.

Relativamente à atividade económica das empresas, constata-se que para o saldo global positivo neste primeiro trimestre contribuíram essencialmente as ‘Atividades de consultoria, científicas, técnicas e similares’, com saldo positivo de 47 empresas, as ‘Atividades de informação e comunicação’, com mais 41, as ‘Atividades imobiliárias’, com mais 33 empresas, e as ‘Atividades de saúde humana e apoio social’, com saldo positivo de 14 empresas.

Em sentido inverso, as atividades que mais se destacaram com saldo negativo foram o ‘Comércio por grosso e a retalho e reparação de veículos automóveis e motociclos’, com menos 13, e as ‘Indústrias transformadoras’, com menos onze.

No período em referência, o número de constituições foi superior ao de dissoluções em oito municípios da RAM, sobressaindo o Funchal, com 282 constituições contra 207 dissoluções, Santa Cruz, com 57 contra doze, Câmara de Lobos, que teve 21 contra seis, e São Vicente, com sete contra uma.

De referir por fim que nos primeiros três meses do ano o rácio entre constituições e dissoluções na RAM foi de 1,42, inferior ao valor observado para o país, de 3,06.

Recomendadas

Parlamentos da Madeira e dos Açores defendem alargamento dos apoios nacionais às empresas das ilhas

Esta medida “visa estender às regiões autónomas um apoio nacional às empresas, consagrado no diploma que fixa o salário mínimo nacional. Um apoio que neste momento está consagrado apenas para o território continental”, salientou o deputado do PSD Brício Araújo, presidente da comissão Especializada de Administração Pública, Trabalho e Emprego da Assembleia Legislativa da Madeira.

OE2022: PSD lamenta ausência de financiamento adicional da Universidade da Madeira

O deputado do PSD Válter Correia criticou a falta de soluções no Orçamento do Estado de 2022 (OE2022) para a questão do financiamento adicional dos estabelecimentos públicos de ensino superior das regiões autónomas, em particular da Universidade da Madeira. “Tratar com equidade os estabelecimentos de ensino superior insulares é uma responsabilidade constitucional do Estado, cuja […]

Açores: empresários de São Jorge querem “apoios imediatos” à liquidez

Os empresários referem que o tecido empresarial da ilha “estava fragilizado pela situação pandémica”, acrescentando que a situação sísmica “veio agravar as dificuldades de recuperação económica”.
Comentários