Madeira vai receber 180 milhões de euros para a agricultura no âmbito do POSEIMA

O cabeça de lista do Partido Socialista-Madeira às eleições legislativas, Carlos Pereira, frisou, após reunião com a Associação de Agricultores da Madeira, os “esforços do PS-Madeira junto ao Ministério da Agricultura” para manter os apoios do POSEIMA.

O PS-Madeira anunciou que a Região Autónoma da Madeira irá receber mais de 180 milhões de euros dos fundos do programa europeu POSEIMA até 2026.

O cabeça de lista do Partido Socialista-Madeira às eleições legislativas, Carlos Pereira, frisou, após reunião com a Associação de Agricultores da Madeira, os “esforços do PS-Madeira junto ao Ministério da Agricultura” para manter os apoios do POSEIMA.  “Os elementos que [o PS] foi apresentando junto do Ministério da Agricultura” permitiram negociações com Bruxelas para a “manutenção dos apoios para a agricultura da Madeira, nomeadamente no caso do POSEIMA”, destacou o candidato.

“Havia uma ideia que foi sendo lançada de que ia existir um corte profundo nesse programa. Houve alguns partidos que fizeram um ruído quase que insuportável em torno desta matéria”, disse o cabeça de lista do PS-Madeira, lembrando que a região autónoma recebia cerca de 30 milhões de euros por ano no âmbito do POSEIMA.

Assim, estes 180 milhões de euros constituem, aos olhos dos socialistas, “uma grande conquista para os madeirenses” na medida em que é “absolutamente essencial que o POSEIMA se mantenha nos níveis em que estava para poder continuar a apoiar os agricultores e o abastecimento de determinados produtos”.

Na sequência da reunião com a Associação de Agricultores da Madeira, também foi mencionado o Estatuto da Agricultura Familiar, o qual não foi adaptado à região autónoma.

Carlos Pereira acusa o Governo Regional de ter “virado a cara a esta possibilidade”, não adaptando o estatuto, o que faz com que os agricultores madeirenses sejam discriminados face aos outros. O candidato lembrou ainda que o PS já propôs na Assembleia Legislativa da Madeira que a Região adaptasse o Estatuto da Agricultura Familiar, pretensão que foi rejeitada.

Recomendadas

CAP, IEFP e ANAPEC assinam acordo para recrutar 400 trabalhadores marroquinos para agricultura

Projeto piloto com início ainda em 2022 tem como objetivo o levantamento das necessidades, negociação e partilha das ofertas de emprego, a informação pré-partida aos candidatos relativa às condições de vida e trabalho em Portugal, o recrutamento e seleção dos trabalhadores, em Marrocos e o acompanhamento da integração dos trabalhadores nas empresas associadas.

Agricultura. Já há guias orientadores do Plano Estratégico da PAC

Os guias orientadores das medidas e instrumentos disponibilizados pelo Plano Estratégico da Política Agrícola Comum em Portugal (PEPAC) já estão disponíveis ‘online’, prevendo-se que este instrumento comece a ser operacionalizado no início de 2023, anunciou hoje o executivo.

Bruxelas dá ‘luz verde’ ao plano estratégico português de 6.700 milhões para PAC

“Hoje [quarta-feira] a Comissão Europeia aprovou o primeiro pacote de planos estratégicos da PAC para sete países: Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Polónia, Portugal e Espanha”, anuncia o executivo comunitário em comunicado hoje divulgado.
Comentários