Madrid vai proibir o uso de telemóvel nas salas de aula

Isabel Díaz Ayuso, governadora da região de Madrid, justifica a decisão afirmando que “trata-se de uma medida que visa melhorar o aproveitamento escolar dos alunos, e proteger aqueles que sofrem de ciberbullying”.

A medida entra em vigor já no próximo ano letivo e afetará mais de 800 mil alunos. Até então, cabia aos centros escolares decidir as limitações do uso de telemóveis nas salas de aula e as respetivas punições, ou falta delas. Madrid torna-se a terceira região espanhola a adotar esta medida depois da Galiza e Castela e Leão, segundo o El Mundo.

Isabel Díaz Ayuso, governadora da região de Madrid, justifica a decisão afirmando que “trata-se de uma medida que visa melhorar o aproveitamento escolar dos alunos, e proteger aqueles que sofrem de ciberbullying”.

A proibição vai ser aplicada em todas as etapas do serviço de educação, desde o 1º ano até à universidade.

A proibição inclui algumas exceções, como por exemplo alunos que necessitem de utilizar o telemóvel por motivos de saúde ou de segurança. Também os professores poderão permitir que se utilizem os telemóveis para a realização de determinados trabalhos na sala de aula.

A secretaria da educação de Madrid esteve em contacto durante meses com docentes dos vários estabelecimentos escolares de Madrid, para apurar a pertinência da medida, sendo que na grande maioria dos casos é considerada uma medida indispensável para melhorar o aproveitamento escolar, segundo o El Mundo.

Através de um estudo realizado pela ‘London School of Economics’ em 2015, os centros escolares que proibiram o uso do telemóvel na sala de aula registaram melhorias de 6,4% nas notas dos alunos, e 14% nos casos específicos de alunos com as notas muito baixas.

 

Recomendadas

Ucrânia: Comissão Europeia quer criminalizar subversão das sanções à Rússia na UE

“A Comissão Europeia apresenta hoje uma proposta para harmonizar as infrações penais e as penas pela violação das medidas restritivas da UE [pois], embora a agressão russa à Ucrânia ainda decorra, é primordial que as medidas restritivas da UE sejam plenamente aplicadas e que a violação dessas medidas não seja compensadora”, salienta a instituição em comunicado de imprensa.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.

Sindicato dos Jornalistas da Guiné-Bissau afirma que novas licenças são “forma civilizada” de acabar com imprensa

O Governo guineense publicou, com data de 18 de outubro, um despacho conjunto dos ministros das Finanças, Ilídio Vieira Té, e da Comunicação Social, Fernando Mendonça, no qual fixa novos valores para aquisição de alvarás para atividades de radiodifusão, televisão, jornais e filmagens no país.
Comentários