Mais de 50% dos portugueses encara como “um dever” o consumo de produtos nacionais

“Quando questionados sobre os motivos de consumir produtos made in Portugal, os inquiridos referem que o contributo para a criação de emprego (82%), promoção do desenvolvimento económico (62%); e a qualidade superior dos produtos (57%)”, aponta o relatório.

A crise gerada pelo novo coronavírus, que verificou os primeiros infetados no mês de março em Portugal, mostrou a dependência dos produtos e fornecedores estrangeiros, uma vez que as passagens nas fronteiras eram mais controladas e os voos eram restritos. A maioria dos portugueses inquiridos (52%) pelo Observador Cetelem Consumo 2020 apontam que o consumo de produtos nacionais é um “dever”, enquanto 30% admite que este é um desafio proposto pelos mesmos, de forma a consumir mais Portugal.

Perto de 49% dos portugueses inquiridos apontam que o consumo de produtos nacionais é “prioritário” e 45% definem o consumo de produtos portugueses como “importante”. “Quando questionados sobre os motivos de consumir produtos made in Portugal, os inquiridos referem que o contributo para a criação de emprego (82%), promoção do desenvolvimento económico (62%); e a qualidade superior dos produtos (57%)”.

Para 28% dos portugueses que participaram no questionário, os produtos nacionais são ainda “mais seguros, cuja origem e composição são conhecidos” e para 23% o apoio à produção local é ainda importante para a promoção de laços sociais. São ainda mencionados como sendo uma forma de “preservar o saber fazer” (11%), de limitar o impacto ambiental (9%), e como sendo mais baratos, em comparação com os produtos importados (5%).

Segundo o Cetelem, 29% consideraram que o consumo de produtos locais é um “ato patriótico”, enquanto 19% consideraram-no um “orgulho”. “Mas os portugueses continuam preocupados com a sua pegada ecológica e 12% referem que esta é uma “ação em prol do ambiente”.

Os dados recolhidos pelo Observador Cetelem Consumo 2020 observam uma tendência crescente na importância do consumo local face ao mesmo relatório do ano passado, em que 45% dos portugueses inquiridos sustentavam que comprar produtos locais era um dever, 28% um objetivo a alcançar a 27% assumia-o como um ato patriótico.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Corte das novas pensões antecipadas recua para 13,83% em 2023

As pensões antecipadas que vierem a ser iniciadas no próximo ano vão sofrer cortes menores do que este ano. Redução da esperança média de vida aos 65 anos causada pela pandemia explica esta evolução.

Sentimento económico na UE e zona euro aumentou pela primeira vez desde fevereiro

Por sua vez, o indicador de expectativas de emprego (EEI) aumentou (+1,4 pontos para 106,3 na UE e +2,0 pontos para 107,4 na área do euro) em novembro.
Comentários