Mais de 60% das empresas que usa IA ainda está numa fase experimental da tecnologia

É esperado um aumento do nível de maturidade do uso da tecnologia, nos próximos dois anos, junto dos fabricantes de automóveis e fornecedores, mas também dos retalhistas. Mas, independentemente do sector, o impacto da IA ​​nas organizações está a crescer consideravelmente, revela o estudo da Accenture.

A maioria das empresas que usam inteligência artificial (IA) nas suas operações (63%), ainda se encontra numa fase experimental desta tecnologia. Apenas 12% das organizações estão a utilizá-la num nível de maturidade mais avançado, permitindo-as alcançar uma forte vantagem competitiva, revela o novo estudo da Accenture.

O estudo “The Art of AI Maturity: Advancing from Practice to Performance” utiliza um novo índice para expressar a maturidade da IA de uma empresa numa escala de 0 a 100 que vai evidenciar o grau em que as organizações superam os seus pares numa combinação de recursos fundamentais e diferenciados relacionados com a IA. Estes recursos incluem a tecnologia – dados, IA, cloud – bem como estratégia organizacional, IA responsável, apoio de C-suite, talento e cultura.

“O relatório coloca a maturidade mediana da IA ​​das organizações numa pontuação moderada de 36, o que revela que a maioria das empresas tem oportunidades significativas para gerar maior valor com a IA. A pesquisa destaca um pequeno grupo (12%) de organizações que já usam a IA para superar os seus concorrentes, as quais são apelidadas de AI Achievers, com uma pontuação de 64 na escala de maturidade – quase o dobro das restantes –, um valor que é correlacionado com um crescimento de receita 50% maior do que os seus pares”, informa a Accenture.

A maioria das empresas analisadas (63%) está, então, numa fase experimental em matérias de IA, sendo apelidadas de “AI Experimenters”, com uma pontuação de maturidade de IA de 29. Os “AI Innovators” (13% das organizações) têm uma pontuação de 50, enquanto que os “AI Builders” encontram-se com 44, um pouco avançados no seu nível de maturidade em IA, mas ainda aquém do que conseguiriam explorar a nível do potencial da IA.

O  líder global de Applied Intelligence da Accenture, Sanjeev Vohra, acredita que “todas as componentes de cada negócio devem ser transformadas por tecnologia, dados e IA, o que em alguns casos pode resultar na reinvenção total da empresa”.

“Os AI Achievers estão a mostrar aos seus pares o que é possível quando se desbloqueia todo o potencial de talento e tecnologia, a trabalhar em conjunto, apoiados por uma visão clara e por um compromisso com a mudança. Mas mesmo este grupo mais maduro tem muito espaço para crescimento. E enquanto a maioria das indústrias tem AI Achievers, estes variam muito no seu nível de maturidade em IA e nos avanços que poderão ter”, acrescenta.

A maturidade de IA varia por sector

As previsões por sector ditam que as empresas de tecnologia, que já têm uma alta pontuação de maturidade de IA de 54, vão aumentar moderadamente este valor para 60 em 2024, embora estejam já posicionadas no auge da maturidade de IA em todos os sectores.

Em contraste, os fabricantes de automóveis e fornecedores vão aumentar de um valor moderado de 39 para 57 em dois anos – apostando num aumento significativo nas vendas de veículos autónomos movidos através de IA. “Da mesma forma, as empresas de retalho vão evoluir de 38 para 54 em 2024. Notavelmente, muitas empresas do sector mostram um compromisso mais profundo com a transformação de IA ​​do que outros”, acrescenta a nota.

Independentemente do sector, o impacto da IA ​​nas organizações está a crescer consideravelmente, segundo o estudo.

As maiores empresas do mundo que discutiram a tecnologia nas suas reuniões de resultados em 2021 tiveram 40% mais hipóteses de ver o valor das suas ações aumentar – acima dos 23% em 2018. Ademais, os investimentos em IA estão a aumentar. Em 2021, 19% das empresas analisadas usaram mais de 30% dos seus orçamentos de tecnologia para projetos de IA. Até 2024, a percentagem de organizações que investem mais de 30% dos seus orçamentos desta tecnologia aumentará para 49%.

“Por consequência, os modelos de machine learning utilizados para o estudo sugerem que a percentagem de AI Achievers aumentará rapidamente dos atuais 12% para 27% até 2024. No mesmo período, a pontuação geral de maturidade da IA ​​aumentará de 36 para 50 no mesmo período”, lê-se no mesmo documento.

Vohra refere que a “adoção de IA em escala e incorporação mais profunda em todos os aspetos dos negócios já não é uma escolha, mas uma necessidade e oportunidade para todos os sectores, organizações e líderes”. “Embora a ciência de IA ​​seja inovadora e inspiradora, aproveitá-la totalmente é uma arte que os líderes devem praticar continuamente. O nosso estudo fornece recomendações acionáveis ​​sobre como avançar a maturidade da IA ​​para que as organizações se juntem aos AI Achievers”, ressalva.

Recomendadas

Grupo da transportadora aérea Sevenair aumenta receitas devido aos cursos de piloto

A Sevenair Academy viu o EBITDA fixar-se ligeiramente acima dos 2 milhões de euros no ano passado.

Sérgio Figueiredo contratado para consultor de Fernando Medina

O contrato estende-se por dois anos e Sérgio Figueiredo deverá receber um ordenado equiparado ao de um ministro.

SINTAC reúne com DGERT e ANA/VINCI para discutir serviços mínimos a assegurar agosto

Em causa estão ainda outras medidas defendidas pelo sindicato, desde o aumento de salários, para fazer face à inflação, até ao reforço dos recursos humanos.
Comentários